Artigos para Festa Sorocaba | Produtos de Festa Sorocaba



Artigos para Festa Sorocaba | Produtos de Festa Sorocaba



Artigos para Festa Sorocaba | Produtos de Festa Sorocaba



Artigos para Festa Sorocaba | Produtos de Festa Sorocaba



Telefone: (15) 3211-5841
Facebook Instagram
Notícias

RSS Feed - Mantenha-se Informado


08/03 - Alto Tietê reúne mais de 400 vagas para quem busca emprego nesta segunda; veja lista
Oportunidades são para trabalhar nos municípios de Mogi das Cruzes e Suzano. Alto Tietê reúne mais de 400 vagas para quem busca emprego Heloise Hamada/G1 Os programas de encaminhamento ao emprego do Alto Tietê oferecem 494 vagas de trabalho nesta segunda-feira (8). As oportunidades são para trabalhar nas cidades de Mogi das Cruzes e Suzano. Suzano No programa de encaminhamento ao emprego de Suzano há 148 oportunidades. Os interessados podem procurar uma das duas unidades do Centro Unificado de Serviços (Centrus). A central fica na Avenida Paulo Portela, 210. Já o Centrus Norte está localizado na Avenida Francisco Marengo, 2.301, no Jardim Dona Benta. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail suzanomaisemprego@gmail.com ou pelo telefone 4745-2264. Vagas de emprego em Suzano Emprega Mogi A cidade de Mogi das Cruzes possui 346 vagas. As pessoas interessadas devem acessar a plataforma Emprega Mogi para participar. Os telefones para mais informações são 4699-1900, 4699-2784, 4798-6315 ou 97422-4273. Os detalhes sobre as vagas em Mogi, como remuneração oferecida e outras exigências, podem ser acessados no site da Prefeitura. Vagas de emprego do programa Emprega Mogi Assista a mais notícias
Veja Mais

08/03 - Dólar opera em alta, a R$ 5,74
Na sexta-feira, moeda norte-americana subiu 0,39%, cotada a R$ 5,6820. Nota de US$ 5 dólares REUTERS/Thomas White O dólar opera em alta nesta segunda-feira (8), à espera da aprovação da PEC emergencial e em meio à volta das restrições das atividades devido ao avanço da pandemia. Às 9h08, a moeda norte-americana subia 1,08%, vendida a R$ 5,7434. Veja mais cotações. Na sexta-feira, a moeda norte-americana subiu 0,39%, vendida a R$ 5,6820. Na semana passada, a moeda norte-americana acumulou alta de 1,38%. No ano, o avanço é de 9,54%. Cenário No cenário local, os mercados esperam pela PEC Emergencial, que será discutida na próxima terça-feira na Câmara, com possibilidade de ter sua admissibilidade analisada, para então ter o mérito votado em dois turnos no plenário da Casa na quarta, afirmou o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). Os economistas das instituições financeiras elevaram a estimativa de inflação para 2021 pela nona semana seguida e também passaram prever uma alta menor do Produto Interno Bruto (PIB). Para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, a expectativa do mercado para este ano passou de 3,87% para 3,98%, acima da meta central deste ano, de 3,75%. Os economistas do mercado financeiro reduziram a estimativa para a alta do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,29% para 3,26% na semana passada. O mercado financeiro também segue prevendo que o processo de alta dos juros básicos da economia, fixados pelo BC para controlar a inflação, começará em meados de março, na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). A projeção para a taxa de câmbio no fim de 2021 subiu de R$ 5,10 para R$ 5,15. Para o fechamento de 2022, avançou de R$ 5,03 para R$ 5,13 por dólar. Variação do dólar em 2021 Economia G1
Veja Mais

08/03 - Educação Financeira #131: o que pode e o que não pode informar no IR 2021? Ouça dicas sobre a declaração
Principais dúvidas ficam para a dedução de procedimentos médicos e educacionais. Também há quem queira informar os gastos com animais de estimação, o que ainda não é permitido. A Receita Federal abriu no último dia 1º de março o recebimento das declarações do Imposto de Renda 2021, de ano-base 2020, com prazo que vai até 30 de abril. Entre os mais de 32 milhões de contribuintes esperados, muitas dúvidas ainda existem sobre o que pode e o que não pode informar na declaração. Neste ano, precisa declarar quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 durante 2020, incluindo salários, horas extras, compras e vendas de bens, além do auxílio emergencial. As principais deduções são os gastos com dependentes, saúde e educação. Por exemplo, podem ser abatidas despesas médicas, compra de equipamentos ortopédicos, gastos com exames e cirurgias para correções. Entre as cirurgias estéticas há uma lista a ser seguida, nem todas são dedutíveis. Há ainda algumas curiosidades, mas que não entram na lista de deduções da Receita, como animais de estimação. Neste episódio de educação financeira do G1, participou a empresária contábil, diretora de relacionamentos de empresas de serviços contáveis e conselheira de uma associação comercial, Michela Martins Uliana Farina. Educação Financeira Comunicação/Globo O que são podcasts? Podcasts são episódios de programas de áudio distribuídos pela internet e que podem ser apreciados em diversas plataformas — inclusive no G1, no GE.com e no Gshow, de modo gratuito. Os conteúdos podem ser ouvidos sob demanda, ou seja, quando e como você quiser! Geralmente, os podcasts costumam abordar um tema específico e de aprofundamento na tentativa de construir um público fiel. VÍDEOS: tudo sobre o Imposto de Renda 2021
Veja Mais

08/03 - Preços no atacado seguem pressionando e inflação pelo IGP-DI vai a 29,95% em 12 meses
Combustíveis exerceram as maiores influências de alta tanto no atacado quanto nos preços ao consumidor. Os preços no atacado – e a alta dos combustíveis – voltaram a pressionar, e o Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou nova alta acentuada em fevereiro, de 2,71%. A taxa ficou abaixo dos 2,91% de janeiro – mas levou o índice acumulado em 12 meses a 29,95%, informou nesta segunda-feira (8) a Fundação Getulio Vargas (FGV). É o maior patamar desde maio de 2003, quando a taxa foi de 30,05%. IGP-DI fevereiro/21 Economia/G1 Em apenas dois meses, o IGP-DI acumula alta de 5,69%. Em fevereiro de 2020, o índice variou 0,01% e acumulava elevação de 6,40% em 12 meses. Subíndices Em fevereiro, o Índice de Preços ao Produtor (IPA) teve desaceleração, para 3,40%, ante 3,92% em janeiro. Apesar disso, destaca a FGV, "dois dos três grupos componentes do índice ao produtor registraram avanços em suas taxas de variação: bens finais (0,79% para 1,80%) e bens intermediários (2,88% para 6,60%)". Segundo componente do IGP-DI, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,54% em fevereiro, após variar 0,27% em janeiro. Três das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação: Habitação (-1,16% para 0,08%), Transporte (0,88% para 2,29%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,28% para 0,29%). Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 1,89% em fevereiro, ante 0,89% no mês anterior. IGP-DI em 12 meses Economia G1 Combustíveis pesaram Os combustíveis exerceram as maiores influências de alta tanto no atacado quanto nos preços ao consumidor. No primeiro caso, o maior peso veio da alta do diesel, de 14,08%. Já no segundo, a gasolina pesou mais, com alta de 5,90%. Veja as maiores influências de alta em fevereiro: ÍNDICE DE PREÇOS AO PRODUTOR AMPLO Óleo Diesel: 14,08% Bovinos: 6,81% Gasolina automotiva: 19,20% Adubos ou fertilizantes: 16,09% Soja (em grão): 1,97% ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR Gasolina: 6,90% Plano e seguro de saúde: 0,82% Etanol: 5,01% Gás de bujão: 2,58% Cebola: 15,07% ÍNDICE NACIONAL DE CUSTO DA CONSTRUÇÃO Vergalhões e arames de aço ao carbono: 21,34% Tubos e conexões de ferro e aço: 11,56% Tubos e conexões de PVC: 7,39% Tijolo/telha cerâmica: 2,57% Condutores elétricos: 3,78% O IGP-DI é usado como referência para correções de preços e valores contratuais. Também é diretamente empregado no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) e das contas nacionais em geral.
Veja Mais

08/03 - Dia Internacional da Mulher: a origem operária do 8 de Março
Data é celebrada oficialmente desde 1975, mas sua origem remonta do início do século 20, quando diversos protestos de mulheres ecoaram pelos Estados Unidos e Europa reivindicando melhores condições de trabalho e igualdade de direitos. Dia Internacional da Mulher é hoje uma data marcada por protestos que pedem igualdade de gênero Getty Images Muitas pessoas consideram o 8 de Março apenas uma data de homenagens às mulheres, mas, diferentemente de outros dias comemorativas, ela não foi criada pelo comércio — e tem raízes históricas mais profundas e sérias. Oficializado pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1975, o chamado Dia Internacional da Mulher é comemorado desde o início do século 20. Hoje, a data é cada vez mais lembrada como um dia para reivindicar igualdade de gênero e com protestos ao redor do mundo — aproximando-a de sua origem na luta de mulheres que trabalhavam em fábricas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa. Elas começaram uma campanha dentro do movimento socialista para exigir seus direitos — as condições de trabalho delas eram ainda piores que as dos homens à época. A origem da data escolhida para celebrar as mulheres tem algumas explicações históricas. No Brasil, é muito comum relacioná-la ao incêndio ocorrido em Nova York no dia 25 de março de 1911 na Triangle Shirtwaist Company, quando 146 trabalhadores morreram, sendo 125 mulheres e 21 homens (na maioria, judeus), que trouxe à tona as más condições enfrentadas por mulheres na Revolução Industrial. No entanto, há registros anteriores a esse episódio que trazem referências à reivindicação de mulheres para que houvesse um momento dedicado às suas causas dentro do movimento de trabalhadores. As origens do Dia Internacional da Mulher Se fosse possível fazer uma linha do tempo dos primeiros "dias das mulheres" que surgiram no mundo, ela começaria possivelmente com a grande passeata das mulheres em 26 de fevereiro de 1909, em Nova York. Na Rússia, em 1917, milhares de mulheres foram às ruas contra a fome e a guerra; a greve delas foi o pontapé inicial para a revolução russa e também deu origem ao Dia Internacional da Mulher Getty Images Naquele dia, cerca de 15 mil mulheres marcharam nas ruas da cidade por melhores condições de trabalho — na época, as jornadas para elas poderiam chegar a 16h por dia, seis dias por semana e, não raro, incluíam também os domingos. Ali teria sido celebrado pela primeira vez o "Dia Nacional da Mulher" americano. Enquanto isso, também crescia na Europa o movimento nas fábricas. Em agosto de 1910, a alemã Clara Zetkin propôs em reunião da Segunda Conferência Internacional das Mulheres Socialistas a criação de uma jornada de manifestações. "Não era uma questão de data específica. Ela fez declarações na Internacional Socialista com uma proposta para que houvesse um momento do movimento sindical e socialista dedicado à questão das mulheres", explicou à BBC News Brasil a socióloga Eva Blay, uma das pioneiras nos estudos sobre os direitos das mulheres no país. "A situação da mulher era muito diferente e pior que a dos homens nas questões trabalhistas daquela época", disse ela, que é coordenadora da USP Mulheres. A proposta de Zetkin, segundo os registros que se tem hoje, era de uma jornada anual de manifestações das mulheres pela igualdade de direitos, sem exatamente determinar uma data. O primeiro dia oficial da mulher seria celebrado, então, em 19 de março de 1911. Em 1913, as mulheres já protestavam pelo direito de votar nos Estados Unidos; nessa época, eram frequentes os protestos também por melhores condições de trabalho Getty Images Em 1917, houve um marco ainda mais forte daquele que viria a ser o 8 de Março. Naquele dia, um grupo de operárias saiu às ruas para se manifestar contra a fome e a Primeira Guerra Mundial, movimento que seria o pontapé inicial da Revolução Russa. O protesto aconteceu em 23 de fevereiro pelo antigo calendário russo — 8 de março no calendário gregoriano, que os soviéticos adotariam em 1918 e é utilizado pela maioria dos países do mundo hoje. Após a revolução bolchevique, a data foi oficializada entre os soviéticos como celebração da "mulher heroica e trabalhadora". Data foi oficializada em 1975 O chamado Dia Internacional da Mulher só foi oficializado em 1975, ano que a ONU intitulou de Ano Internacional da Mulher para lembrar suas conquistas políticas e sociais. "Esse dia tem uma importância histórica porque levantou um problema que não foi resolvido até hoje. A desigualdade de gênero permanece até hoje. As condições de trabalho ainda são piores para as mulheres", pontuou Eva Blay. "Já faz mais de cem anos que isso foi levantado e é bom a gente continuar reclamando, porque os problemas persistem. Historicamente, isso é fundamental." Cartaz em Londres dizendo 'O futuro é feminino': mulheres de todo o mundo fazem marchas e protestos por direitos iguais na semana do 8 de Março EPA No mundo inteiro, a data ainda é comemorada, mas ao longo do tempo ganhou um aspecto "comercial" em muitos lugares. O dia 8 de março é considerado feriado nacional em vários países, como a própria Rússia, onde as vendas nas floriculturas se multiplicam nos dias que antecedem a data, já que homens costumam presentear as mulheres com flores na ocasião. Na China, as mulheres chegam a ter metade do dia de folga no 8 de Março, conforme é recomendado pelo governo - mas nem todas as empresas seguem essa prática. Já nos Estados Unidos, o mês de março é um mês histórico de marchas das mulheres. No Brasil, a data também é marcada por protestos nas principais cidades do país, com reivindicações sobre igualdade salarial e protestos contra a criminalização do aborto e a violência contra a mulher. "Certamente, o 8 de Março é um dia de luta, dia para lembrarmos que ainda há muitos problemas a serem resolvidos, como os da violência contra a mulher, do feminicídio, do aborto, e da própria diferença salarial", observou Blay. Segundo ela, mesmo passadas décadas de protestos das mulheres e de celebração do 8 de Março, a evolução ainda foi muito pequena. "Acho que o que evoluiu é que hoje a gente consegue falar sobre os problemas. Antes, se escondia isso. Tudo ficava entre quatro paredes. Antes, esses problemas eram mais aceitos, hoje não."
Veja Mais

08/03 - Analistas do mercado elevam estimativa de inflação para 3,98% em 2021 e veem alta menor do PIB
Esta foi a nona alta seguida na expectativa de inflação medida pelo boletim Focus, do Banco Central. Previsão de alta do PIB passou de 3,29% para 3,26%. Os economistas das instituições financeiras elevaram a estimativa de inflação para 2021 pela nona semana seguida e também passaram a projetar uma alta menor do Produto Interno Bruto (PIB). As informações estão no boletim de mercado, conhecido como relatório "Focus", divulgado nesta segunda-feira (8) pelo Banco Central (BC). Os dados foram levantados na semana passada em pesquisa com mais de 100 instituições financeiras. Para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, a expectativa do mercado para este ano passou de 3,87% para 3,98%. Com o novo aumento, a expectativa de inflação do mercado continua acima da meta central deste ano, de 3,75%. Pelo sistema de metas, não haverá descumprimento se a inflação oscilar entre 2,25% e 5,25% em 2021. A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Para alcançá-la, o Banco Central eleva ou reduz a taxa básica de juros da economia (Selic). Em 2020, pressionado pelos preços dos alimentos, o IPCA ficou em 4,52%, acima do centro da meta para o ano, que era de 4%, mas dentro do intervalo de tolerância. Foi a maior inflação anual desde 2016. Para 2022, o mercado financeiro manteve em 3,50% a previsão de inflação. No ano que vem, a meta central de inflação é de 3,50% e será oficialmente cumprida se o índice oscilar de 2% a 5%. Expansão da economia Sobre o comportamento da economia brasileira em 2021, os economistas do mercado financeiro reduziram a estimativa para a alta do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,29% para 3,26% na semana passada. O PIB é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país e serve para medir a evolução da economia. Para 2022, o mercado baixou de 2,50% para 2,48% a estimativa de expansão do PIB. A expectativa para o nível de atividade foi feita em meio à pandemia de Covid-19, que derrubou a economia mundial e colocou o mundo no caminho de uma recessão. Nos últimos meses, porém, indicadores têm mostrado uma retomada da economia brasileira. Taxa básica de juros O mercado financeiro também segue prevendo que o processo de alta dos juros básicos da economia, fixados pelo BC para controlar a inflação, começará em meados de março, na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). A expectativa dos analistas dos bancos continua sendo de que a taxa passe de 2% para 2,25% ao ano neste mês. Para o fim de 2021, a previsão continuou em 4% ao ano. Para o fechamento de 2022, os economistas do mercado financeiro elevaram a expectativa de 5% para 5,5% ao ano, ou seja, passaram a estimar uma alta maior da taxa Selic. Outras estimativas Dólar: a projeção para a taxa de câmbio no fim de 2021 subiu de R$ 5,10 para R$ 5,15. Para o fechamento de 2022, avançou de R$ 5,03 para R$ 5,13 por dólar. Balança comercial: para o saldo da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações), a projeção em 2021 caiu de US$ 55,10 bilhões para US$ 55 bilhões de resultado positivo. Para o ano que vem, a estimativa dos especialistas do mercado permaneceu em US$ 50 bilhões de superávit. Investimento estrangeiro: a previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil neste ano recuou de US$ 55 bilhões para US$ 52,5 bilhões. Para 2022, a estimativa caiu de US$ 64,4 bilhões para US$ 61,9 bilhões. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia
Veja Mais

08/03 - Tira dúvidas do IR 2021: ações
Especialista em imposto de renda da consultoria EY, Antonio Gil, vai responder todas as semanas, durante todo o prazo de declaração, a 15 perguntas dos leitores. O prazo para fazer a declaração do Imposto de Renda 2021 já começou – e com ele as dúvidas dos contribuintes. Para ajudar nessa tarefa, a pedido do G1, o especialista em imposto de renda da consultoria EY, Antonio Gil, vai responder todas as semanas, durante todo o prazo de declaração, a 15 perguntas dos leitores. Serão 3 perguntas por dia, de segunda a sexta. Tem alguma dúvida? Mande sua pergunta e veja as já respondidas SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021 1) Pergunta: Em 2020 comprei ações americanas por meio de uma corretora internacional. Converti reais para dólar e comprei os ativos, mas não vendi nenhum. Como devo declarar? (Ronaldo Barbosa) Resposta: Tais ações listadas em bolsas de valores internacionais devem ser declaradas na ficha Bens e Direitos pelo seu custo de aquisição, em Reais, sob o código “31 - Ações”, informando a quantidade total adquirida de cada ativo e o país em que se encontra. 2) Pergunta: Tive prejuízo com ações ano passado. Se eu vender esse ano e tiver algum lucro, esse lucro deve ser abatido do prejuízo do ano anterior, mesmo que a venda mensal seja abaixo de 20 mil? (Manuel) Resposta: Caso o lucro mensal seja proveniente de venda dentro do limite de R$ 20.000,00, tal rendimento não é tributável, não abatendo assim prejuízos passados. 3) Pergunta: Comprei ações de algumas empresas em 2020. Devo declarar nos bens e direitos? Pelo preço médio ou de aquisição? (Luiz Santos) Resposta: Sim, caso o conjunto de ações de cada empresa seja igual ou superior a R$ 1.000,00.Você deve declará-las pelo custo de aquisição.
Veja Mais

08/03 - 62% das empresas não têm políticas para aumentar participação das mulheres em cargos de liderança
Pesquisa da Robert Half mostra que, ao mesmo tempo, 76% das empresas reconhecem os benefícios da igualdade de gênero no ambiente de trabalho e manifestam preocupação em reduzir a desigualdade entre homens e mulheres no mercado. Mercado de trabalho para homens e mulheres Krakenimages/Unsplash Pesquisa da empresa de recrutamento especializado Robert Half mostra que 62% das organizações ainda não têm políticas específicas para aumentar a participação de mulheres em cargos de liderança. Ao mesmo tempo, 76% das empresas reconhecem os benefícios da igualdade de gênero no ambiente de trabalho e manifestam preocupação em reduzir a desigualdade entre homens e mulheres no mercado. Já a maioria dos profissionais entrevistados (64%) acreditam que a empresa em que trabalham deveria ampliar a participação feminina no quadro de colaboradores para se tornar uma organização que respeita a igualdade de gênero. Um pensamento mais diverso é o principal benefício da igualdade de gênero no ambiente de trabalho, tanto para profissionais quanto para recrutadores. No entanto, o fortalecimento da política de atração de candidatos que valorizam a diversidade, que está em 4º lugar no ranking dos recrutadores, aparece como 2º principal benefício na visão dos profissionais. Confira abaixo. Principais benefícios da igualdade de gênero no ambiente de trabalho para os recrutadores: Pensamento mais diverso: 66% Melhora no clima corporativo: 57% Aumenta motivação e melhora o engajamento: 55% Fortalecimento da política de atração de candidatos que valorizam a diversidade: 49% Principais benefícios da igualdade de gênero no ambiente de trabalho pela perspectiva dos profissionais: Pensamento mais diverso: 77% Fortalecimento da política de atração de candidatos que valorizam a diversidade: 53% Aumenta motivação e melhora o engajamento: 49% Melhora no clima corporativo: 45% “É muito claro que as empresas estão preocupadas com o tema de igualdade de gênero e que reconhecem os seus benefícios, mas ainda faltam ações e políticas específicas para essa questão no ambiente corporativo”, afirma Débora Ribeiro, Strategic Account Manager da Robert Half. Débora Ribeiro afirma que existem ações muito simples que podem ser tomadas neste sentido, com custo zero e que já fariam a diferença. Ela cita como exemplos: Pesquisa interna nas empresas com as mulheres para entender o que falta e o que funciona, além de sugerir ações Estimular autoras mulheres, além de passar a usar referências delas no mundo dos negócios Comunicação e linguagem inclusiva e não tendenciosa, com a substituição por termos neutros Metas transparentes e bem definidas para promoções e méritos Workshops para homens e mulheres com o tema "Vieses e barreiras de gênero" “Pensamento diverso aparece como o principal benefício, tanto para empresas como para profissionais, da igualdade de gênero no ambiente de trabalho. Mas, para os profissionais, o tema é imperativo e fator de atração, ou seja, fortalece a empresa como uma marca empregadora. A igualdade de gênero, dentre outras questões sobre diversidade e inclusão, é fundamental para a evolução de uma organização”, complementa. A pesquisa foi feita em fevereiro com 774 profissionais, igualmente divididos em duas categorias: recrutadores (profissionais responsáveis por recrutamento nas empresas ou que têm participação no preenchimento das vagas) e profissionais qualificados empregados e desempregados (com 25 anos de idade ou mais e formação superior). Segundo a Robert Half, com a evolução do trabalho remoto e a quebra dos limites geográficos nos processos de recrutamento, será cada vez mais desafiador atrair e reter os melhores talentos. E a valorização da diversidade de gênero é um aspecto relevante para os profissionais que estão no mercado. As empresas que não se atentarem à questão podem acabar perdendo talentos para companhias mais inclusivas.
Veja Mais

08/03 - Região de Campinas inicia semana com oferta de 431 vagas de emprego; veja áreas de atuação
Interessados podem se candidatar a partir desta segunda-feira (8). Em virtude da pandemia, a recomendação é para que atendimentos sejam feitos por telefone ou com horário agendado. PATs abrem 431 vagas de emprego em seis cidades da região de Campinas Agência Brasil A região de Campinas (SP) inicia a semana com oferta de 431 vagas de trabalho em seis cidades. Os interessados podem se candidatar às oportunidades a partir desta segunda-feira (8) e a lista inclui empregos em Americana, Campinas, Espírito Santo do Pinhal, Indaiatuba, Jaguariúna e Louveira. Veja, abaixo, a lista. As vagas oferecidas são para diversos níveis de escolaridade e destinadas a candidatos de todos os gêneros. Além disso, há oportunidades exclusivas para pessoas com deficiência (PCDs). As administrações municipais alertam que as vagas podem ser preenchidas ao longo do dia e, por isso, a relação divulgada tem alterações. Em virtude da pandemia do novo coronavírus, os atendimentos nos postos (PATs) são realizados de forma on-line ou por telefone. A recomendação é para que o candidato acompanhe canais oficiais das prefeituras. Americana O PAT de Americana oferece 142 vagas de emprego. Os interessados precisam cadastrar o currículo no site da prefeitura. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 3461-0289. Ajudante de obras - 10 vagas temporárias; Ajudante de tecelão - 1 vaga; Analista de Departamento Pessoal - 1 vaga; Auxiliar de mecânico - 1 vaga; Balconista - 2 vagas; Caldeireiro (a) Industrial - 46 vagas; Carpinteiro (a) - 1 vaga; Carpinteiro (a) - 4 vagas temporárias; Conferente de mercadoria - 2 vagas; Cortador (a) de tecidos - 1 vaga; Costureiro (a) - 3 vagas; Encanador (a) industrial - 1 vaga; Encanador (a) tubista - 1 vaga; Faxineiro (a) - 1 vaga; Mecânico (a) de automóveis - 1 vaga; Mecânico (a) montador - 1 vaga; Motorista de entregas - 1 vaga; Operador (a) de empilhadeira - 2 vagas; Pedreiro (a) - 1 vaga; Pedreiro (a) - 4 vagas temporárias; Representante comercial - 1 vaga; Serralheiro (a) - 1 vaga; Servente - 1 vaga; Soldador (a) - 46 vagas; Soldador (a) industrial - 1 vaga; Técnico (a) instrumentista - 15 vagas temporárias; Urdidor (a) - 1 vaga; Vendedor (a) externo (a) - 1 vaga; Campinas Campinas tem 133 vagas de emprego disponíveis. Por conta da pandemia do coronavírus, os interessados devem agendar o atendimento pelo telefone 156. Açougueiro (a) - 1 vaga; Atendente de telemarketing - 1 vaga exclusiva para PCD; Auxiliar de costura - 2 vagas; Auxiliar de cozinha - 1 vaga; Auxiliar operacional de logística - 2 vagas exclusivas para PCD; Costureiro (a) de máquinas industriais - 1 vaga; Cozinheiro (a) geral - 1 vaga; Garçom - 1 vaga; Gerente de restaurante - 1 vaga; Instalador (a) reparador de redes e cabos telefônicos - 99 vagas; Jardineiro (a) - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção de ônibus - 1 vaga; Motorista carreteiro (a) - 1 vaga; Motorista de caminhão - 1 vaga; Motorista entregador (a) - 1 vaga; Operador (a) elevador cremalheira - 1 vaga; Pedreiro (a) - 10 vagas; Programador (a) de sistemas de informação - 5 vagas exclusivas para PCD; Técnico (a) em segurança do trabalho - 1 vaga; Vendedor para lojas de construção - 1 vaga. Para acompanhar mudanças no quadro de vagas ou conferir detalhes, acesse a página do CPAT. Espirito Santo do Pinhal Espirito Santo do Pinhal oferece 10 oportunidades de trabalho no PAT. Os interessados devem enviar e-mail para o endereço vagas.patpinhal@gmail.com junto com o CPF. Caso o cadastro esteja desatualizado, é necessário comparecer ao posto, localizado na Avenida Oliveira Mota, nº 01, Centro, e levar CPF, RG e CTPS. O atendimento é de segunda à sexta, das 8h até as 16h. Ajudante de garçom e entregador - 1 vaga; Costureiro (a) - 1 vaga; Entregador (a) - 1 vaga; Mecânico (a) de automóveis - 1 vaga; Motorista de ônibus urbano - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção de máquinas - 1 vaga; Operador (a) de produção - 1 vaga; Trabalhador (a) rural - 1 vaga; Técnico (a) de instalação e manutenção elétrica - 1 vaga; Vendedor (a) externo - 1 vaga. Indaiatuba O PAT de Indaiatuba reúne 97 vagas de emprego. A unidade orienta os interessados a entrem em contato pelo telefone (19) 3816-9252. Mais informações podem ser obtidas pelo site. Ajudante de obras - 1 vaga; Ajudante de cozinha - 1 vaga; Ajudante de cozinha - 1 vaga; Ajudante de motorista - 2 vagas; Ajudante de obras - 1 vaga; Analista de recursos humanos - 1 vaga; Apontador (a) de produção - 1 vaga; Atendente balconista - 1 vaga; Auxiliar de cozinha - 1 vaga; Auxiliar de almoxarifado - 1 vaga; Auxiliar de confeitaria - 1 vaga; Auxiliar de limpeza - 4 vagas; Auxiliar de linha de produção - 2 vagas; Auxiliar de marceneiro - 2 vagas; Auxiliar de pizzaiolo - 1 vaga; Auxiliar de técnico de eletrônica - 1 vaga; Auxiliar de vidraceiro - 1 vaga; Auxiliar operacional de logística - 1 vaga exclusiva para PCD; Caldeireiro (a) montador (a) - 1 vaga; Caseiro (a) - 1 vaga; Chefe de cozinha - 1 vaga; Consultor (a) de vendas - 1 vaga; Costureiro (a) em geral - 2 vagas; Cozinheiro (a) - 2 vagas; Desenhista de páginas da internet - 1 vaga; Desenhista projetista mecânico - 1 vaga; Desenvolvedor (a) de plataforma web - 1 vaga; Eletricista - 2 vagas; Encarregado (a) de orçamento - 1 vaga; Enfestador (a) de roupas - 1 vaga; Fresador (a) - 2 vagas; Gari - 1 vaga; Gerente comercial - 1 vaga; Inspetor (a) de qualidade - 2 vagas; Instrutor (a) de autoescola - 1 vaga; Jardineiro (a) - 1 vaga; Marceneiro (a) - 3 vagas; Mecânico (a) de auto em geral - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção de máquina industrial - 1 vaga; Mecânico (a) montador (a) - 1 vaga; Metrologista - 1 vaga; Montador (a) de estruturas metálicas - 1 vaga; Montador (a) de móveis de madeira - 1 vaga; Montador (a) soldador - 2 vagas; Motorista de automóveis - 1 vaga; Motorista de caminhão - 2 vagas; Oficial de manutenção predial - 1 vaga; Oficial de serviços diversos na manutenção de edificações - 1 vaga; Oficial de serviços gerais - 2 vagas; Operador (a) de tesoura mecânica e máquina de cor no acabamento de chapas e metais - 1 vaga; Operador (a) de centro de usinagem de madeira (CNC) - 1 vaga; Operador (a) de empilhadeira - 1 vaga; Operador (a) de estação de tratamento de água e efluentes - 1 vaga; Operador (a) de extrusora de borracha e plástico - 1 vaga; Operador (a) de máquina-elevador - 1 vaga; Operador (a) de prensa - 1 vaga; Operador (a) de retro-escavadeira - 1 vaga; Operador (a) de seccionadora - 1 vaga; Operador (a) de telemarketing ativo - 1 vaga; Pintor (a) de automóveis - 1 vaga; Preparador (a) de prensa mecânica de metais - 1 vaga; Preparador (a) de torno automático - 2 vagas; Programador (a) de máquinas - 1 vaga; Programador (a) de risco e corte - 1 vaga; Retificador (a) - 1 vaga; Serralheiro (a) - 1 vaga; Soldador (a) - 2 vagas; Tapeceiro (a) de móveis - 1 vaga; Técnico (a) de enfermagem - 1 vaga; Técnico (a) de projetos elétricos - 1 vaga; Técnico (a) eletrônico - 1 vaga; Técnico (a) em eletromecânica - 1 vaga; Técnico (a) em manutenção de equipamentos de informática - 1 vaga; Torneiro (a) mecânico - 2 vagas; Vendedor (a) - 4 vagas. Jaguariúna Jaguariúna oferece 42 oportunidades de trabalho no PAT, mas não informou a quantidade de vagas por cargo. Os interessados devem acessar o site da unidade para agendar um horário e posteriormente comparecer presencialmente. Ajudante de caldeiraria - 1 vaga; Ajudante geral - 1 vaga; Ajudante geral para recarga de cartuchos - 1 vaga; Auxiliar contábil - 1 vaga; Auxiliar de escritório - 1 vaga; Auxiliar de departamento fiscal - 1 vaga; Auxiliar de limpeza - 1 vaga; Auxiliar de manutenção predial -1 vaga; Auxiliar de pizzaiolo - 1 vaga; Barbeiro (a) - 1 vaga; Caseiros (a) - 1 vaga; Conferente - 1 vaga; Cozinheiro (a) industrial - 1vaga; Designer gráfico (a) - 1 vaga; Doméstico (a) - 1 vaga; Eletricista de manutenção industrial - 1 vaga; Encarregado (a) de lavanderia - 1 vaga; Encarregado (a) de serviços gerais - 1 vaga; Estagiário (a) de administração - 1 vaga; Entregador (a) de panfletos - 1 vaga; Instalador (a) de calhas - 1 vaga; Mecânico (a) de auto - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção industrial - 1 vaga; Menor aprendiz administração - 1 vaga; Motorista carreteiro (a) - 1 vaga; Motorista de caminhão - 1 vaga; Oficial de cozinha - 1 vaga; Oficial de manutenção predial - 1 vaga; Operador (a) de caixa - 1 vaga; Operador (a) de jato abrasivo - 1 vaga; Operador (a) de mini escavadeira - 1 vaga; Operador (a) de retroescavadeira - 1 vaga; Pedreiro (a) - 1 vaga; Pizzaiolo - 1 vaga; Porteiro (a) - 1 vaga; Preparador (a) acabamentista de autos - 1 vaga; Repositor (a) de mercadoria - 1 vaga; Representante comercial autônomo - 1 vaga; Técnico (a) instalador (a) - 1 vaga; Vendedor (a) autônomo - 1 vaga; Vendedor (a) externo - 1 vaga; Vigia - 1 vaga. Há vagas disponíveis também para prestadores de serviço que emitam nota fiscal. Os interessados devem mandar currículo para o endereço pat.jaguariuna@gmail.com. Louveira O Serviço de Apoio ao Trabalhador (SAT) de Louveira (SP) está com 7 vagas disponíveis. Para se candidatar, o interessado deve enviar o currículo preferencialmente pelo e-mail sat@louveira.sp.gov.br ou entrar em contato pelo telefone (19) 3848-3255. Meio (a) oficial soldador (a) - 1 vaga; Caldeireiro (a) - 1 vaga; Projetista e desenhista - 1 vaga; Eletromecânico (a) - 1 vaga; Mecânico (a) de manutenção - 1 vaga; Operador (a) de extrusora - 1 vaga; TI - 1 vaga. VÍDEOS: últimas notícias da região de Campinas Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas
Veja Mais

08/03 - Mulheres ganham menos que homens em todos os estados e no DF; veja a diferença por local
Pior situação para as trabalhadoras é observada em Mato Grosso do Sul, onde a remuneração das mulheres equivale a apenas 65,4% do salário dos homens. Melhor relação é observada no Amapá. Em todos os estados e no Distrito Federal, as mulheres recebem remuneração média inferior à dos homens. A diferença do valor varia bastante entre os locais. A pior situação para as trabalhadoras é observada no Mato Grosso do Sul: no estado, a remuneração média das mulheres equivale a apenas 65,4% da recebida pelos homens. Participação de mulheres no mercado de trabalho tem 5º ano de alta, mas remuneração segue menor que dos homens, diz IBGE A melhor relação é observada no Amapá, onde os valores são muito próximos, embora as trabalhadoras também estejam em desvantagem. No estado, a remuneração dos homens é de R$ 2.171, enquanto as mulheres recebem R$ 2.162. Os números foram compilados pela consultoria IDados com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio e são referentes ao terceiro trimestre do ano passado. Veja abaixo a remuneração e a diferença salarial por estados: Diferença salarial por estados Elcio Horiuchi/Arte G1 Vídeos: Últimas notícias de economia m
Veja Mais

08/03 - Emprego: confira 176 vagas ofertadas em 16 municípios de Pernambuco nesta segunda
Através da Agência do Trabalho, há oportunidades para farmacêutico, cobrador externo, garçom, pedreiro, encanador, costureira, entre outras ocupações. Nesta segunda-feira (8), há duas vagas reservadas para pessoas com deficiência Geraldo Bubniak/AEN Profissionais que estão em busca de uma oportunidade de emprego têm 176 vagas disponíveis através da Agência do Trabalho, da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (Seteq), em 16 municípios do estado, nesta segunda-feira (8). Entre as oportunidades, há dez vagas para pedreiro em Caruaru, no Agreste, e outras quatro para eletricista em Vitória Santo Antão, na Zona da Mata. Também há oportunidades para quem quer trabalhar como auxiliar administrativo, carpinteiro, garçom, encanador, camareira, entre outras ocupações (confira lista completa mais abaixo). Há vagas no Recife (36), Arcoverde (5), Belo Jardim (8), Bezerros (4), Cabo de Santo Agostinho (7), Camaragibe (4), Caruaru (46), Garanhuns (10), Igarassu (8), Ipojuca (4), Petrolina (15), Salgueiro (3), Santa Cruz do Capibaribe (7), São Lourenço da Mata (2), Serra Talhada (6) e Vitória de Santo Antão (11). Os interessados devem procurar uma das Agências do Trabalho do estado. O atendimento ocorre preferencialmente com agendamento, feito pelo site da secretaria ou pelo Portal Cidadão. Vagas de emprego Vagas para pessoas com deficiência Vagas temporárias VÍDEOS: Mais assistidos de Pernambuco nos últimos 7 dias
Veja Mais

08/03 - Confira as vagas de emprego oferecidas em Petrolina e Salgueiro nesta segunda-feira
Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco Mauro Pimentel/AFP/Arquivo Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta segunda-feira (08) em Petrolina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE
Veja Mais

08/03 - Maioria das candidatas a vagas de emprego são questionadas sobre filhos, diz pesquisa
Enquanto 75,7% das mulheres entrevistadas disseram ter sido questionadas se tinham filhos em seleções para vagas no regime CLT, 93,5% das profissionais candidatas a projetos freelancer afirmaram que não passaram por isso. Entrevista de emprego on-line em Juiz de Fora Graziane Cumani Pesquisa da Workana, plataforma que conecta freelancers a empresas da América Latina, mostra que 75,7% das mulheres entrevistadas disseram ter sido questionadas se tinham filhos em seleções para vagas no regime CLT. Já entre as candidatas a vagas na modalidade freelancer, 93,5% das profissionais afirmaram que não foram questionadas pelas empresas contratantes se tinham filhos. Em relação à idade, 53,5% das mulheres freelancers cadastradas na plataforma disseram ter vivido uma transição em suas carreiras depois dos 40 anos, 30% começaram a atuar como freelancer após os 30 anos e 18% depois dos 36 anos. O levantamento mostra ainda que 69% das mulheres optaram por mudar de carreira ou entrar no mercado freelancer focadas na flexibilidade, liberdade e na busca por mais igualdade e autonomia - 21% delas tomaram essa decisão por querer passar mais tempo com os filhos. O restante foi para gerir a própria carreira e ter controle sobre a rotina. Desigualdade no home office A pesquisa mostra ainda que a desigualdade de gênero ficou mais evidente no home office: 48,3% das mulheres com carteira assinada afirmaram estar cuidando dos filhos, enquanto entre os homens esse número chegou a 11,1%. Além disso, as mulheres foram as que mais sofreram de ansiedade: 28% delas afirmaram ter sido acometidas por esse problema, enquanto entre os homens a taxa ficou em 8,33%. Elas lideraram ainda o ranking de dificuldade de concentração, com 24% de incidência, ante 17,71% deles. Para Daniel Schwebel, country manager da Workana no Brasil, apesar de 15,2% dos profissionais terem visto no home office a vantagem de poder trabalhar sem deixar de estar perto dos filhos, não ter limites entre a vida pessoal e profissional e ter que seguir horários pré-determinados pela empresa acabou sobrecarregando principalmente as mulheres. Ele defende que os gestores tenham mais flexibilidade em relação aos horários no trabalho remoto, o que vai possibilitar que as mulheres façam a gestão do próprio tempo, adequando o trabalho à rotina de casa da maneira que acharem melhor. "Para diminuir os obstáculos encontrados pelas mulheres no mercado de trabalho, os líderes têm que focar nas necessidades de cada profissional. Dar suporte para que as pessoas desenvolvam não só suas habilidades técnicas, mas também tenham a saúde mental em dia, crescendo profissional e pessoalmente com equilíbrio, contribuirá para que haja menos desigualdade no mercado de trabalho”, diz Daniel Schwebel.
Veja Mais

08/03 - Mais de 150 concursos públicos com inscrições abertas reúnem 210,4 mil vagas em todo o país
Salários chegam a R$ 16.549,40 na Prefeitura de São Cristóvão do Sul (SC); só o IBGE reúne mais de 200 mil vagas. Pelo menos 151 concursos públicos no país estão com inscrições abertas nesta segunda-feira (8) e reúnem 210.467 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 16.549,40 na Prefeitura de São Cristóvão do Sul (SC). CONFIRA AQUI A LISTA COMPLETA DE CONCURSOS E OPORTUNIDADES Além das vagas abertas, há concursos para formação de cadastro de reserva – ou seja, os candidatos aprovados são chamados conforme a abertura de vagas durante a validade do concurso. Entre os principais concursos federais abertos estão: Aeronáutica, para 223 vagas de nível médio Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), para cadastro de reserva em cargos de nível superior Conselho Federal de Química, para 270 vagas de nível superior Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), para 22.409 vagas de nível médio e outro para 181.898 vagas de nível fundamental Marinha, dois para 980 vagas de nível médio e outro para 33 vagas de músicos Ministério da Economia, que oferece 590 vagas Nesta segunda-feira, pelo menos 13 órgãos abrem o prazo de inscrições para 293 vagas em cargos de todos os níveis de escolaridade. Os salários chegam a R$ 6.956,78 na Prefeitura de Ibiraçu (ES). Veja abaixo as informações de cada concurso: Governo do Mato Grosso do Sul Inscrições: até 11/03/2021 64 vagas Salários de até R$ 2.414,27 Cargos de nível médio e superior Veja o edital Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) Inscrições: até 12/03/2021 1 vaga Salários de até R$ 1.446,00 Cargos de nível superior Veja o edital Prefeitura de Amaporã (PR) Inscrições: até 22/03/2021 Cadastro de reserva Salários de até R$ 2.992,24 Cargos de nível superior Veja o edital Prefeitura de Barra do Turvo (SP) Inscrições: até 10/03/2021 20 vagas Salários de até R$ 1.000,00 Cargos de nível fundamental Veja o edital Prefeitura de Caapiranga (AM) Inscrições: até 12/03/2021 71 vagas Salários de até R$ 1.443,12 Cargos de nível superior Veja o edital Prefeitura de Campina das Missões (RS) Inscrições: até 18/03/2021 6 vagas Cargos de nível superior Veja o edital Prefeitura de Delfinópolis (MG) Inscrições: até 12/03/2021 3 vagas Salários de até R$ 1.403,56 Cargos para alfabetizados Veja o edital Prefeitura de Ibiraçu (ES) Inscrições: até 09/03/2021 37 vagas Salários de até R$ 6.956,78 Cargos de nível fundamental, médio, técnico e superior Veja o edital Prefeitura de João Neiva (ES) Inscrições: até 10/03/2021 3 vagas Salários de até R$ 2.620,98 Cargos de nível superior Veja o edital Prefeitura de Marabá (PA) Inscrições: até 09/03/2021 31 vagas Salários de até R$ 5.086,90 Cargos de nível médio e superior Veja o edital Prefeitura de Nova Serrana (MG) Inscrições: até 16/03/2021 Cadastro de reserva Salários de até R$ 3.060,18 Cargos de nível superior Veja o edital Santa Casa de Misericórdia do Pará Inscrições: até 10/03/2021 34 vagas Salários de até R$ 1.045,00 Cargos de nível fundamental Veja o edital Sistema Estadual de Atendimento Socioeducativo (Seas) do Ceará Inscrições: até 10/03/2021 23 vagas Salários de até R$ 2.266,00 Cargos de nível médio e superior Veja o edital
Veja Mais

08/03 - 'Pessoas trans têm muito a agregar nos espaços corporativos', diz empresária que luta por inclusão e diversidade nas empresas
Série do G1 mostra empreendedoras que comandam negócios com impacto social. Gabriela Augusto criou uma consultoria quando percebeu que o preconceito limitaria seu acesso ao mercado de trabalho. Mulheres empreendedoras que inspiram: Gabriela Augusto A falta de perspectiva de conseguir um emprego na sua área de formação levou Gabriela Augusto a empreender. Mulher trans e negra, ela não aceitou o preconceito e hoje ajuda empresas a serem mais inclusivas. O G1 publica a partir desta segunda-feira (8) uma série de 5 reportagens com mulheres empreendedoras que comandam negócios de impacto social. Gabriela passou pelo processo de transição de gênero quando estava na faculdade de direito, aos 21 anos. Seu maior obstáculo foi lidar com a vida profissional. “Comecei a me perguntar onde eu queria trabalhar e a olhar para empresas onde queria estar, e não via pessoas como eu. Não tinham muitas pessoas negras e não vi nenhuma pessoa trans. Seria possível estar nesses lugares? Se ninguém tinha chegado lá, por que eu seria a primeira?”, questionava. Mas foi esse cenário injusto e a falta de liberdade de poder ser quem realmente é que levaram Gabriela para todos os lugares que desejou. Hoje ela comanda a Transcendemos, consultoria em diversidade e inclusão, que criou em 2017. Uma das missões de Gabriela é conectar grupos sub-representados a empresas comprometidas com a diversidade Acervo pessoal De porta em porta Em 2016, Gabriela criou o Manual Empresa de Respeito, um livrinho de bolso com os principais conceitos relacionados a igualdade racial e de gênero, e ao combate à LGBTfobia. Ela bateu na porta de muitas empresas, de bares, restaurantes, academias e agências de publicidade oferecendo o manual de forma gratuita. No entanto, a maioria dos negócios não via valor no material. Era comum receber respostas do tipo: “Temos o posicionamento de não levantar bandeira nenhuma”, “Não estamos disponíveis para ajudar”, “Não nos envolvemos em nenhum tipo de movimento”. Valor da diversidade nos negócios Vendo a dificuldade dessas empresas de perceberem o valor da inclusão, Gabriela começou a basear sua argumentação na ideia de que esses ideais estão relacionados a um diferencial competitivo. “Estamos falando de responsabilidade social, em tornar o mundo um lugar melhor e mais justo, mas também em tornar a empresa melhor. Um negócio mais diverso é mais inovador, mais criativo”, afirma. Com persistência e um discurso com muita informação, a empresária começou a conquistar espaço no mundo corporativo. Veio o primeiro cliente: uma hamburgueria. Gabriela treinou os garçons e atendentes e foi paga com hambúrgueres. Inicialmente, as empresas a procuravam para ações de conscientização e treinamento, mas logo começaram a se interessar também por ações estratégicas. Com o tempo, passou a oferecer programas de diversidade mais estruturados, com calendário de ações e mecanismos de como levantar dados sobre o tema. “É difícil melhorar o que a gente não consegue medir, por isso criamos um censo de diversidade e inclusão nessas empresas para pensar nas ações que são tomadas”, explica. Gabriela em evento do Comuto, programa de desenvolvimento profissional da Transcendemos Divulgação Preconceito e exclusão A Transcendemos também qualifica pessoas de grupos sub-representados, apoiando seu desenvolvimento profissional e as conectando com empresas parceiras. “A gente não pode generalizar e pensar que a pessoa trans é necessariamente ligada à prostituição, que não tem educação, ensino superior, porque existem, sim, pessoas negras, trans muito bem capacitadas. Mas também há aquelas que carecem de apoio. É para elas que fazemos nossas ações”, afirma. O processo de exclusão dessas pessoas não está relacionado só ao mundo corporativo, o problema começa bem antes. Muitas pessoas trans não têm o apoio da família, são expulsas de seus lares ainda na adolescência, enfrentam preconceito nas escolas e nas universidades. Essa realidade leva a números alarmantes. O Brasil é o país que mais mata transexuais no mundo. Aqui, 90% desta população tem a prostituição como fonte de renda, segundo a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra). Segundo Gabriela, isso acontece por falta de alternativa e não por opção. Mais oportunidade para essas pessoas dentro das empresas pode mudar muita coisa. Veja abaixo alguns trechos da entrevista do G1 com Gabriela Augusto. Inclusão é o caminho A especialista em diversidade diz que costuma fazer algumas provocações às empresas. "Por que não contratar uma pessoa com inglês iniciante e qualificá-la? Por que não criar programas de trainees focados em pessoas negras ou contratações focadas em pessoas trans?", questiona. "Precisamos enxergar a nossa potência e essa inclusão não é um favor, pessoas trans têm muito a agregar nos espaços corporativos". Gabriela Augusto criou a Transcendemos e é especialista em diversidade e inclusão Acervo pessoal Mulher, trans e negra "Nunca foi fácil. É duas vezes mais difícil por ser mulher e aí a gente dobra esse número por eu ser uma mulher trans". Muitas empresas tiveram dificuldade em notar credibilidade no trabalho de Gabriela. "Muitas preferiam um homem branco para falar de diversidade ao invés de uma mulher trans e negra". "Foi só no final de 2019, começo de 2020, que recebi alguns reconhecimentos importantes e comecei a consolidar minha credibilidade", conta. Gabriela recebeu o McKinsey LGBTQ+ Achievement Award, importante no cenário de inclusão e diversidade corporativa. Também se tornou LinkedIn Top Voice. "Esses reconhecimentos chancelaram meu trabalho". Diversidade também pode dar lucro Estudo da McKinsey de 2015, com algumas atualizações recentes, aponta a relação entre diversidade racial e de gênero em lideranças nas empresas e o impacto disso na performance financeira dessas organizações. "Há essa relação entre lucratividade dos negócios e diversidade e inclusão. Mas arrisco dizer que é mais complexo que isso". Para Gabriela, há vários movimentos simultâneos acontecendo que oferecem uma pressão para que essas empresas se posicionem na sociedade. "A gente tem um público consumidor demandando isso. Dá pra citar como exemplo a comoção com o caso do Carrefour". Na ocasião, um homem negro foi espancado até a morte em uma unidade do grupo de supermercados, em Porto Alegre. Conselho para quem quer empreender Um dos "skills" (habilidades profissionais) no mundo empreendedor é inovação, é criatividade, alerta Gabriela. "A gente como mulher trans precisa entender o nosso potencial". Por terem uma diferente experiência de vida, as mulheres trans têm condições de levar uma visão especial para os negócios. "Eu acredito muito no poder da nossa comunidade feminina trans no mundo do empreendedorismo".
Veja Mais

08/03 - Mulheres que inspiram: série do G1 conta a história de empreendedoras de sucesso
Elas comandam negócios com impacto social e dão dicas para quem quer abrir uma empresa. Conheça a trajetória de Gabriela Augusto, Ana Fontes, Carolina Ignarra, Adriana Barbosa e Mariel Reyes Milk. Série do G1 conta a história de mulheres empreendedoras de sucesso Arte G1 Na semana do Dia Internacional da Mulher, celebrado nesta segunda-feira (8), o G1 conta, em uma série com 5 reportagens, a história de empreendedoras que comandam negócios com impacto social. Gabriela Augusto, Ana Fontes, Carolina Ignarra, Adriana Barbosa e Mariel Reyes Milk contam suas trajetórias e dão dicas para as mulheres que já empreendem ou que querem abrir um negócio. Segunda-feira (8): Gabriela Augusto comanda consultoria em diversidade e inclusão e luta por uma sociedade mais justa para pessoas trans. Terça-feira (9): Ana Fontes lidera a maior rede de apoio ao empreendedorismo feminino no Brasil. Quarta-feira (10): Carolina Ignarra comanda consultoria com foco na empregabilidade de pessoas com deficiência. Quinta-feira (11): Adriana Barbosa é criadora do maior evento de cultura e empreendedorismo negro da América Latina. Sexta-feira (12): Mariel Reyes Milk lidera uma startup social que ensina programação para mulheres.
Veja Mais

08/03 - Mulheres ganham espaço em ciência e tecnologia, mas salários ainda são abismo entre gêneros
Dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho apontam que diferenças nas médias salariais chegaram a R$ 1.736 em 2019, como foi o caso de ciências físicas e naturais. Flávia Cruz, diretora Instituto de Engenharia, é formada em letras e engenharia elétrica e eletrônica Divulgação Aos 19 anos, Flávia Cruz queria ser engenheira e prestar o vestibular da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP). Por conselhos da família, ela desistiu da carreira e optou pelo curso de letras. Durante décadas, ela atuou como tradutora de livros e teve uma trajetória bem-sucedida. Mas, determinada a seguir a carreira dos sonhos, ela decidiu cursar engenharia elétrica e eletrônica aos 36 anos, mesmo sob questionamentos de familiares. Hoje, aos 49, ela é diretora do departamento de ciências exatas e tecnologias do Instituto de Engenharia e coordena projeto de inclusão de mulheres no setor. Participação de mulheres no mercado de trabalho tem 5º ano de alta, mas remuneração segue menor que dos homens, diz IBGE Jordânia lidera ranking de países com maior percentual de mulheres em cargos de chefia; Brasil é 25º Mulheres são 40% dos pesquisadores do Brasil que declaram ter doutorado nas 5 maiores áreas de conhecimento, aponta levantamento "Meu irmão perguntou: 'Tem certeza que você quer fazer isso [estudar engenharia]?'. Estamos ganhando espaço no mercado de trabalho, embora ainda devagar. Falta a gente ter mais voz, gritar mais", disse ela. Mulheres como Flávia estão conquistando, aos poucos, mais espaço nas áreas de ciência, tecnologia e engenharia no Brasil. A diferença salarial, no entanto, continua refletindo a ampla desigualdade de gênero que existe nessas áreas. Segundo dados da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, houve aumento de 3,6% na quantidade de profissionais mulheres em serviços ligados à engenharia e de 38% em ciências físicas e naturais, ambos de 2017 a 2019. No mesmo período, houve crescimento de 4,5% na quantidade de mulheres em carreiras ligadas à tecnologia da informação. As diferenças nas médias salariais, contudo, são grandes. A exceção fica por conta da engenharia, em que os salários divergem pouco e a remuneração das mulheres supera a dos homens entre 2018 e 2019 (veja gráficos abaixo). Mulheres ganham espaço na ciência, engenharia e tecnologia G1 Apesar do progresso nas últimas décadas, o número global de mulheres pesquisadoras ainda é muito pequeno: 35% de todos os estudantes matriculados em cursos de exatas, segundo a ONU Mulheres (entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres). "As mulheres ganham, em média, 27% menos [que os homens] porque estão em carreiras menos remuneradas. Um exemplo é que a maioria dos enfermeiros é mulher e a maioria dos médicos é homem. Além disso, estudos empíricos mostram que elas tendem a negociar menos aumentos salariais e mudanças de cargo", afirmou Tayná Leite, gerente do Programa Ganha-Ganha no Brasil. O projeto é uma aliança entre a ONU Mulheres, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a União Europeia (UE) para promoção da igualdade de gênero no setor privado. Desigualdade na carreira acadêmica No Brasil, a realidade no mundo acadêmico não é diferente. As pesquisadoras tendem a ter carreiras mais curtas e remuneração inferior. Embora elas representem 33,3% de todos os pesquisadores do país, apenas 12% dos membros das academias de ciências nacionais são mulheres. "Com a pandemia, uma universidade francesa fez testes para um programa de doutorado às cegas e aprovou mais mulheres. Ficou claro que existe um viés de preconceito na escolha. Elas têm total capacidade para gerar produção científica. O estereótipo que recai sobre meninos e meninas é o que faz com que a gente perca talentos", disse Tayná. Dados divulgados pelo Ministério da Educação, pela plataforma Nilo Peçanha, apontam que o número de mulheres formadas em cursos de química na rede federal de educação profissional, científica e tecnológica do país subiu 1,16% de 2017 a 2019. No mesmo período, houve queda de 14,21% na quantidade de homens em formação. Nos cursos de engenharia, a participação feminina cresceu 22,5% de 2017 a 2019. Entre o público masculino, a alta foi de 28% no mesmo intervalo. Em tecnologia da informação, informação e jogos digitais, a participação das mulheres foi de apenas 369 em 2017 para 423 em 2019 (alta de 14,6%). Entre os homens, o aumento foi bem mais representativo: passou de 1.376 para 1.781 (+24,9%). Alana Araújo se formou em engenharia da computação em Pernambuco Divulgação A recifense Alana Araújo, 32, nadou contra a maré e foi uma das três mulheres a se formar em engenharia da computação em uma sala com 50 homens na Escola Politécnica da Universidade de Pernambuco. "Senti um pouco de preconceito no começo da carreira, mas exigi respeito pelo meu trabalho e pelo conhecimento que adquiri", relembrou Alana, que sempre contou com o apoio da família. Com experiência em programação e ciência de dados, a engenheira se mudou para São Paulo há sete anos e trabalha atualmente com as tecnologias na área comercial da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom). Como o Instituto de Engenharia, a entidade também possui projeto voltado à atração de jovens e diversidade, o TechMe. Segundo Sérgio Paulo Gallindo, presidente da Brasscom, o programa tem como proposta encontrar novos talentos fora do perfil "homem branco, classe média/alta" para solucionar a escassez de profissionais da área tecnológica. "Não temos talentos suficientes para preencher a demanda do país. 70% das vagas técnicas em tecnologia são ocupadas por homens. Se temos vagas, significa que estamos gerando riquezas. Precisamos romper com o preconceito de que TI é para nerds e homens", defendeu Gallindo. VÍDEOS: mais vistos do G1 nos últimos 7 dias
Veja Mais

08/03 - Imposto de Renda 2021: como declarar o Auxílio Emergencial?
Para quem não é isento, o auxílio deve entrar na declaração em rendimentos tributáveis, na aba de "Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica". Beneficiários com recebimentos acima do limite estabelecido pela Receita Federal deverão ser devolvidos. Saiba como declarar o auxílio emergencial no imposto de renda Das novas regras do Imposto de Renda 2021, a forma de declarar o Auxílio Emergencial é a principal delas. O benefício que chegou a mais de 67 milhões de pessoas precisará ser declarado por quem se enquadra em algum dos critérios de obrigatoriedade estabelecidos pela Receita Federal. Para quem não é isento, o auxílio deve entrar na declaração em rendimentos tributáveis, na aba de "Rendimentos Recebidos de Pessoa Jurídica". Saiba tudo sobre o Imposto de Renda Veja como preparar os documentos para a declaração Importante: caso o contribuinte tenha recebido o Auxílio Emergencial, para que ele seja isento, os rendimentos tributáveis devem ter terminado o ano abaixo dos R$ 22.847,76. Se o valor for acima desse limite, o Auxílio não só precisa ser declarado, como deverá ser devolvido ao fisco, por ele e seus dependentes. O valor do próprio auxílio não deve ser incluído no cálculo desse limite. "O valor que deverá ser devolvido para o Governo Federal engloba apenas as parcelas do Auxílio Emergencial (parcelas de R$ 600 ou R$ 1.200 — cota dupla, previstas na Lei 13.982/2020). Não é preciso devolver o valor da Extensão (Auxílio Emergencial Residual — parcelas de R$ 300 ou R$ 600 — cota dupla, previstas na MP 1.000/2020)”, informa a Receita. Caso seja necessário devolver algum valor, o próprio software da Receita faz o cálculo e gera um DARF a ser pago pelo contribuinte. “Foi um mecanismo para pegar fraudes, mas a regra ficou uma brecha porque a Receita colocou um limite máximo de rendimentos tributáveis, mas não menciona rendimentos isentos”, diz Charles Gularte, VP de Operações da Contabilizei. De acordo com o Fisco, a expectativa é de que 3 milhões de pessoas que receberam o auxílio emergencial em 2020 devolvam o benefício através da declaração do Imposto de Renda. Quem deve declarar quem recebeu rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2020. O valor é o mesmo da declaração do IR do ano passado. contribuintes que receberam rendimentos isentos, não-tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma tenha sido superior a R$ 40 mil no ano passado; quem obteve, em qualquer mês de 2020, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto, ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; quem teve, em 2020, receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50 em atividade rural; quem tinha, até 31 de dezembro de 2020, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil; quem passou para a condição de residente no Brasil em qualquer mês e se encontrava nessa condição até 31 de dezembro de 2020; quem optou pela isenção do imposto incidente em valor obtido na venda de imóveis residenciais cujo produto da venda seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais localizados no país, no prazo de 180 dias, contado da celebração do contrato de venda; pessoas que receberam Auxílio Emergencial em 2020 e, além das parcelas, tiverem recebido R$ 22.847,76 ou mais em outros rendimentos tributáveis. Vídeos: Últimas notícias de IR 2021
Veja Mais

07/03 - Nova cédula de 1 milhão de bolívares venezuelanos vale menos que US$ 1
Um quilo de tomate, oito pãezinhos, um refrigerante de 250 ml ou uma barra de sabão de baixa qualidade podem custar cerca de 1 milhão de bolívares. A partir desta segunda-feira (8), as cédulas de 200.000, 500.000 e 1 milhão de bolívares venezuelanos começarão gradativamente a circular. Essas três novas notas não somam o equivalente a US$ 1 pelo câmbio oficial. A de um milhão, por exemplo, vale 0,50 centavos de dólar.  Um quilo de tomate, oito pãezinhos, um refrigerante de 250 ml ou uma barra de sabão de baixa qualidade podem custar cerca de 1 milhão de bolívares em uma economia marcada pela inflação, que fechou 2020 em quase 3.000%, passando assim pelo quarto ano de hiperinflação. Dolarização formal na Venezuela, uma 'camisa de força' que Maduro rejeita O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro Reuters/Marco Bello “O problema em um ciclo hiperinflacionário é que a velocidade com que o Banco Central atualiza o cone monetário é muito mais lenta”, disse o economista Asdrúbal Oliveros. “O Banco Central [da Venezuela] acaba de lançar uma cédula que terá o valor mais alto que não chega a 65 centavos de dólar. Mesmo com essas novas cédulas é possível que não se consiga realmente otimizar o sistema de pagamentos”, observa. Bolívar substituído pelo dólar no país O dinheiro em bolívares também é muito escasso e os usuários fazem longas filas nos bancos para acessar, no máximo, 400.000 bolívares, o limite para o saque. O bolívar acabou sendo substituído pelo dólar, que se tornou a moeda de fato na Venezuela. É comum que os preços de qualquer comércio venezuelano sejam transformados em dólares e os pagamentos sejam feitos em moeda estrangeira. O pagamento em moeda local normalmente é feito por cartão de débito ou transferência bancária. O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, tem promovido a “digitalização total” dos pagamentos na Venezuela, incluindo o transporte público, atualmente o único setor onde prevalece o bolívar em dinheiro. “Para isso, eles precisam ter um sistema tecnológico e logístico otimizado com o transporte que não têm, por isso retiram essas passagens para tentar amenizar um pouco o problema”, disse Oliveros. O cone monetário foi estendido pela última vez em junho de 2019. Vídeos: Últimas notícias de economia
Veja Mais

07/03 - Programa Emprega Mogi tem oportunidades de trabalho para soldadores
Os interessados devem ter ensino médio completo, curso técnico em solda e experiência em indústria. Mogi das Cruzes tem vagas de emprego para soldador Movidagrafica Barcelona/Pexels O programa Emprega Mogi, da Prefeitura de Mogi das Cruzes, está com oportunidades de trabalho para soldadores. São 18 vagas disponíveis para profissionais com esta qualificação, em duas empresas da cidade. Outras 23 vagas de diversas empresas estão em processo de seleção. A orientação é para que os candidatos se cadastrem pela página do programa e, para os já cadastrados, mantenham suas informações atualizadas. Os salários para as vagas disponíveis no Emprega Mogi para os soldadores variam entre R$ 2,6 mil e R$ 2,8 mil. Os interessados devem ter ensino médio completo, curso técnico em solda e experiência em indústria. “A função de soldador está com um número de vagas maior que o número de candidatos registrados no programa Emprega Mogi. Então, estamos fazendo este alerta para os trabalhadores que possuem os requisitos e buscam uma nova colocação no mercado de trabalho para que se cadastrem ou atualizem suas informações. Em um momento de crise, como o atual, esta é uma ótima oportunidade”, explicou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Gabriel Bastianelli. Como concorrer Para se cadastrar, o interessado deve acessar a página do Emprega Mogi na internet e fazer o procedimento de forma on-line. Já para quem já está inserido no programa, a orientação da Secretaria Municipal de Desenvolvimento é para que verifique se os dados do seu currículo - cursos realizados, experiências profissionais anteriores, e se estão atualizados e se as informações para contato (e-mail e telefone) estão corretas. Os candidatos cadastrados no Emprega Mogi Digital também têm acesso às vagas disponíveis no programa e podem, pelo sistema, demonstrar interesse em cargos existentes na lista. Para os interessados nas vagas de soldador, basta fazer a busca pela função. A partir disso, é feita uma análise pela equipe do programa Emprega Mogi e, em caso de aprovação, o candidato recebe um e-mail confirmando que está dentro do perfil. Em caso de aprovação, a empresa entrará em contato por telefone para a realização do processo seletivo. A relação das outras vagas disponíveis para diferentes funções para as quais os candidatos podem demonstrar interesse está disponível no site do Emprega Mogi. Assista a mais notícias do Alto Tietê
Veja Mais

07/03 - Mogi das Cruzes abre processo seletivo para contratação de 158 professores
Há vagas para ampla concorrência e para pessoas com deficiência. Inscrição é feita on-line e prazo vai até o dia 11 de março, às 17h. Mogi contratará 158 professores por meio de processo seletivo Guilherme Berti/Arquivo PMMC A Prefeitura de Mogi das Cruzes abriu inscrições do Processo Seletivo Simplificado (PSS) destinado à contratação de 158 professores. Desse número total, serão 150 profissionais de Educação Básica I, sendo 142 vagas para ampla concorrência e oito para pessoas com deficiência (PCD). Além disso, também serão contratados oito professores de Educação Básica II, sendo cinco vagas para ampla concorrência e três para PCD, de acordo com as disciplinas dispostas no edital, que está disponível no site da Prefeitura. As inscrições deverão ser feitas pela internet. O prazo final para inscrição é o dia 11 de março, às 17h. Rede municipal de ensino De acordo com a Prefeitura, os profissionais irão ministrar aulas no ensino regular e Educação de Jovens e Adultos (EJA) da rede municipal de Mogi das Cruzes e atenderão a necessidade da Secretaria de Educação em caráter emergencial e temporário. A duração do contrato será de 12 meses. O salário para professor de Educação Básica I, por uma jornada semanal de 25 horas, é de R$ 3.518,74. Já para o professor de Educação Básica II, a jornada é de 20 horas, e o salário é de R$ 3.346,75. O município informa que o candidato deve atender aos requisitos presentes no edital, onde também estão definidos os critérios de classificação. Os interessados podem obter mais informações pelo e-mail comissaopss@se-pmmc.com.br. Assista a mais notícias do Alto Tietê
Veja Mais

07/03 - Fundador do Twitter coloca seu primeiro tuíte à venda
Oferta por publicação de estreia de Jack Dorsey já chega a US$ 2 milhões e é um sinal sobre o apetite por peças virtuais. Jack Dorsey, presidente e fundador do Twitter Toby Melville/Reuters O diretor-executivo do Twitter, Jack Dorsey, colocou à venda seu primeiro tuíte postado na rede social. A maior oferta recebida até agora chega a US$ 2 milhões, o que é um sinal sobre o apetite por essas peças virtuais. "Estou criando minha conta Twttr", tuitou o fundador da plataforma em 21 de março de 2006. Initial plugin text Na sexta-feira (5), Dorsey postou um link para a rede social no site "Valuables", onde os internautas podem fazer uma oferta. A maior feita neste sábado, de US$ 2 milhões, é de Justin Sun, fundador da TRON, uma plataforma de blockchain, a principal tecnologia usada para criptomoedas, e dono do site de streaming BitTorrent. "O criador de um tuíte decide se deseja emití-lo no blockchain para criar uma versão autenticada exclusiva", explica o site de leilão de tweets. Comprar um tuíte significa adquirir "um certificado digital do tweet, único, porque foi assinado e verificado pelo criador", explica a empresa em sua página de perguntas e respostas. O tuíte de Dorsey permanece visível para todos, desde que o próprio autor ou o Twitter o mantenham online. O mesmo acontece com as sequências de vídeo de jogos de basquete, que ainda são visíveis gratuitamente na internet mesmo depois de terem se tornado um "NFT", um "token não fungível": um objeto de identidade virtual, autenticidade e rastreabilidade em teoria incontestáveis e invioláveis, graças à tecnologia conhecida como "blockchain". Um vídeo de ação de dez segundos do astro da NBA, LeBron James, foi vendido por US$ 208 mil no Top Shot no final de fevereiro. Lançado no início de outubro pela Dapper Labs em associação com a NBA, Top Shot permite comprar e vender esses videoclipes, chamados de "momentos", a preços que variam de acordo com sua raridade. Desde o início do ano, a Top Shot gerou mais de US$ 200 milhões em transações, de acordo com um porta-voz da Dapper Labs.
Veja Mais

07/03 - Contratação de mulheres em cargos de liderança cresceu 20% em 2020, mostra Page Executive
Maior presença de mulheres em assentos de posições estratégicas é reflexo de um crescente aumento da participação feminina em processos seletivos. Mulheres em cargos de liderança CoWomen/Unsplash As mulheres estão conseguindo ocupar mais espaço em cargos de liderança. É o que mostra a Page Executive, unidade de negócio do PageGroup especializada em recrutamento e seleção de executivos para alta direção (o chamado "C-Level"). De acordo com a consultoria, a presença feminina nesses postos cresceu 20% em 2020, saltando de 30% em 2019 para 37% no ano passado. A maior presença das mulheres em assentos de posições estratégicas é reflexo de um crescente aumento da participação feminina em processos seletivos. Ainda de acordo com a Page Executive, a presença das mulheres em seus processos seletivos passou de 50% em 2019 para 70% em 2020. A consultoria também procurou identificar quais segmentos em que há maior participação de mulheres. Foi detectado que os setores de Varejo, Farmacêutica, Cosméticos e de Bens de Consumo contam com mais mulheres em cargos de alta direção. Já os segmentos Agro e Indústrias de Base e de Bens de Capital ainda não contam com expressiva atuação feminina. Quanto às áreas, a Page Executive apontou que há maior presença de mulheres em RH, Marketing e Comercial. Com participação feminina menos intensa, aparecem Operações e Financeira. "Esse aumento expressivo da presença de mulheres em cargos de liderança mostra que o mercado está cada vez mais engajado em deixar essa balança mais equilibrada", diz Fernanda Amorim, diretora da Page Executive. A Page Executive entrevistou cerca de 2 mil executivos no ano passado em seus processos de seleção, todos candidatos a cargos de direção, presidência e conselho. Eles atuam em empresas de pequeno, médio e grande porte em todo o Brasil e de diversos setores.
Veja Mais

07/03 - Reveja reportagem sobre as violeiras do Brasil
Símbolo da música rural brasileira, a viola foi tema de matéria especial em 2019. E tem cada vez mais mulheres se destacando neste instrumento. Reveja reportagem sobre a viola, símbolo da música rural brasileira A viola é um símbolo forte da música de origem rural do Brasil. Impossível pensar em um modão, sem ouvir o som da viola caipira. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Este instrumento tão representativo do campo foi tema de matéria especial em 2019 e tem cada vez mais mulheres se destacando neste instrumento. Reveja trecho da reportagem no vídeo acima. Leia mais: Viola do século 21: inovações mantêm sentimento caipira vivo no Brasil Festival só de mulheres violeiras arrasta multidões em MT Viola faz sucesso entre jovens e vira até sobrenome de artista Toque da viola acompanha batida de casco de mulas e cavalos Vídeos mais assistidos do Globo Rural
Veja Mais

07/03 - Criadores estão recebendo menos de R$ 2 pelo litro de leite em MG
Preço está em queda no Brasil, enquanto os custos de produção aumentaram. Criadores estão recebendo menos de R$ 2 pelo litro de leite em MG O preço do leite está em queda no Brasil. Em Minas Gerais, por exemplo, os criadores estão recebendo menos de R$ 2,00 pelo litro. Assista a todos os vídeos do Globo Rural É o caso do produtor Giovani Figueiredo Fernandes, de Juiz de Fora. O leite é a sua única fonte de renda e ele está recebendo apenas R$ 1,97 pelo litro. "Foram 3 meses consecutivos de queda. [...] Eu acredito assim...que, por causa da pandemia, pessoal desempregado, a mercadoria está parada na prateleira do mercado. Então, para a gente aqui hoje, está ficando muito difícil, quase que inviável", conta. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. Vídeos mais assistidos do Globo Rural
Veja Mais

07/03 - Safra de verão do milho no RS deve ser 8% menor do que o esperado
O estado deve colher 3,5 milhões de toneladas do produto. Queda é consequência da estiagem na região. Safra de verão do milho no RS deve ser 8% menor do que o esperado A safra de verão do milho no Rio Grande do Sul deve ser de 3,5 milhões de toneladas. O número é 8% menor do que o esperado para o produto. No início do plantio, a expectativa era de que os agricultores conseguissem 125 sacas por hectare, mas a estiagem atrapalhou os planos. Assista a todos os vídeos do Globo Rural A produtora rural Gabriela Nichel semeou 900 hectares de milho em Chiapeta e Independência, municípios do estado. Devido à seca, a produtividade caiu e ela deve conseguir apenas 40 sacos por hectare. Em áreas em que a agricultora usa a irrigação, a situação estava caminhando melhor, até que a cigarrinha do milho, praga que afeta este tipo de cultura, apareceu em sua lavoura. "Esse ano foi o ano de entrada dela (cigarrinha do milho) trazendo todo o complexo de infestamento, planta morrendo, tombamento... Então, a área de pivô, que tem potencial para produzir 250 sacos por hectare de média, muitas delas produzindo entre 120 e 160 sacos por hectare”, comenta. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural
Veja Mais

07/03 - Abate de bois em Mato Grosso cai 21% em janeiro
Seca prolongada no segundo semestre do ano passado foi o que provocou a queda na comparação com igual mês de 2020. Abate de bois em Mato Grosso cai 21% em janeiro O abate de bois atingiu 367 mil cabeças em janeiro deste ano em Mato Grosso, o que representou uma queda de 21% no comparativo com a média mensal de 2020. A diminuição ocorreu por causa da seca prolongada no segundo semestre do ano passado. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Um dos produtores afetados foi Julio Rocha, que tem uma propriedade no município de Santo Antônio de Leverger, no centro sul de Mato Grosso. Ele trabalha com a chamada cria, período que vai do nascimento até a desmama dos bezerros. Devido à estiagem, os animais estão demorando mais a ganhar peso. Pelo mesmo motivo, o número de cabeças abatidas na região caiu de 650 para 400 por dia. Em consequência, a utilização total dos frigoríficos no estado ficou em apenas 45%. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural
Veja Mais

07/03 - Veredas secam no norte de Minas Gerais por degradação ambiental
Esses reservatórios funcionam como caixa d'água nas regiões de Cerrado do Brasil. Reportagem foi exibida em 2014 e biólogo diz que, mesmo com boas chuvas em 2020, veredas não se recuperaram. Veredas secam no norte de Minas Gerais por degradação ambiental Veredas do norte de Minas Gerais estão secando por degradação ambiental. Elas são reservatórios de água e de vida que funcionam como caixa d'água nas regiões de Cerrado do Brasil. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Esta reportagem especial foi exibida em 2014 e o biólogo Walter Neves diz que, mesmo com as boas chuvas no ano passado, as veredas não se recuperaram. Reveja a reportagem completa no vídeo acima. Vídeos mais assistidos do Globo Rural
Veja Mais

07/03 - Projeto une agricultores, ambientalistas e indígenas para reflorestar fazendas próximas ao parque do Xingu
Trabalho desenvolvido em Mato Grosso quer retomar 300 mil hectares de matas ciliares. Parceria com o Instituto Socioambiental (ISA) atingiu a meta em apenas 4 mil, em 12 anos. Projeto une agricultores, ambientalistas e indígenas para reflorestar fazendas próximas ao parque do Xingu Na série de melhores do Globo Rural, reveja o projeto que reúne agricultores, ambientalistas e índios para recuperar as matas ciliares de fazendas de soja de Mato Grosso. Assista a todos os vídeos do Globo Rural O trabalho de iniciativa do Instituto Socioambiental (ISA) foi realizado no entorno do parque indígena do Xingu e demonstra como é possível conciliar a agricultura de ponta, a sobrevivência dos índios e a preservação da natureza. Leia mais. Em 12 anos de projeto, dos 300 mil hectares de matas ciliares que precisam ser reflorestados na bacia do Xingu, 4 mil já atingiram o objetivo. Em média o instituto refloresta 150 hectares por ano. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. VÍDEOS: mais assistidos do Globo Rural
Veja Mais

07/03 - Colheita de maçã em Santa Catarina deve crescer 17% este ano
A estimativa é que o estado produza 550 mil toneladas da fruta em 2021. Colheita de maçã em Santa Catarina deve crescer 17% este ano É época de colheita de maçã Santa Catarina e os produtores estão animados. A produção deve crescer 17% este ano em relação a 2020, a 550 mil toneladas. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Em São Joaquim, por exemplo, o período de colheita da maçã é um dos mais importantes para a maioria das cerca de 2.600 mil famílias de agricultores, que têm na fruta a principal fonte de renda. E, este ano, por causa do clima, os trabalhos começaram mais cedo. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. Vídeos mais assistidos do Globo Rural
Veja Mais

07/03 - Preço baixo do mamão preocupa produtores do Espírito Santo
O sol forte de janeiro fez a fruta amadurecer mais rápido e, com isso, muitas chegaram no ponto de colheita ao mesmo tempo. Com tanta oferta no mercado, o valor pago ao agricultor despencou. Preço baixo do mamão preocupa produtores do Espírito Santo O preço baixo do mamão está preocupando os produtores do Espírito Santo. O sol forte de janeiro fez a fruta amadurecer mais rápido e, com isso, muitos mamões chegaram no ponto de colheita ao mesmo tempo. Com tanta oferta no mercado, valor pago ao agricultor despencou. Assista a todos os vídeos do Globo Rural Na propriedade do agricultor Luiz Antônio, em Linhares, no norte do estado, muitas frutas não vão ser nem colhidas. Saiba mais na reportagem completa no vídeo acima. Vídeos mais assistidos do Globo Rural
Veja Mais

07/03 - Pequenas Empresas & Grandes Negócios: contatos de 07/03/2021
Veja como obter informações das empresas citadas no programa. Veja a reportagem: Franquia de farmácias desenvolve produtos de beleza veganos para pets Fórmula Animal Farmácia de Manipulação Veterinária Rua João Planincheck, 883 - Nova Brasília Jaraguá do Sul/SC – CEP: 89252-275 Telefone: (47) 3275-0674/(47) 99977-5534 (matriz) e-mail: vendas@formulanimal.com.br www.formulanimal.com.br Instagram: https://instagram.com/fa.jguadosul Facebook: https://www.facebook.com/formulanimal/ Veja a reportagem: Escola de e-commerce ajuda empresários do varejo a vender mais Ecommerce na Prática Av João Cabral De Mello Neto, 850 – Barra Da Tijuca Rio De Janeiro/Rj - CEP: 22775-057 Telefone: (21) 3500-1448 / whatsapp: 21 2018-1530 https://ecommercenapratica.com/ Email: contato@ecommercenapratica.com Instagram: www.instagram.com/ecommercenapratica Linkedin: www.linkedin.com/company/ecommerce-na-pratica/ YouTube: www.youtube.com/channel/UC7OFLtujMpeBnlZ9S9_8zzQ Facebook: www.facebook.com/ecommercenapraticablog Sarah Rosé Rua Catequese,1016. Bairro Jardim Santo André/SP - CEP: 09090-401 Telefone: (11) 93464-7624/ (11) 97983-1897 www.sarahrose.com.br Instagram: @sarahroseoficial Facebook: Sarah Rose Alfaiataria Veja a reportagem: Empresária fatura R$ 20 milhões com micropigmentação de sobrancelhas e faz sucesso atendendo clientes usando pijama Natalia Beauty Avenida Rebouças, 1481 – Pinheiros São Paulo/SP - CEP: 05402-100 Telefone: 11 3061-2670 E-mail: natalia@nataliabeautyacademy.com www.nataliabeautyacademy.com Facebook: nataliabeauty Instagram: @nataliabeauty Veja a reportagem: Conheça 5 dicas para começar no mercado de games Playland – Unidade Eldorado Avenida Rebouças, 3970 - Cerqueira César São Paulo/SP - CEP: 05402-999 Telefone: (11) 3812-6377 E-mail: faleconosco@playland.com.br https://www.playland.com.br/ Instagram e Facebook - @playlandoficial Webcore Games Avenida Angélica, 1761 Cj 101 - Higienópolis São Paulo/SP - CEP: 01227-200 Telefone: (11) 3230.6795 Email: webcore@webcore.com.br www.webcoregames.com Redes sociais: www.facebook.com/webcore www.instagram.com/webcoregames www.twitter.com/webcoregames Veja a reportagem: Saiba a hora certa para renovar ou tirar um produto do mercado Professor Alberto Ajzental Endereço: Rua Tupi 343 apt 162 – Santa Cecília São Paulo/SP – CEP: 01233-001 Telefone: 11 9 3706 9712 E-mail: alberto.ajzental@fgv.br Violeta Supermercados www.supermercadovioleta.com.br Facebook: violetasupermercados Instagram: supermercadovioleta Veja a reportagem: Rede de franquias faz sucesso vendendo waffle e cresce durante a pandemia The Waffle King Avenida Borges de Medeiros, 2820 - Vila Suíça Gramado/RS - CEP: 95670-000 Telefone: 54 98166 7133 E-mail: contato@thewaffleking.com.br Site: http://thewaffleking.com.br Facebook: The Waffle King Instagram: @thewafflekingbrazil Abertura do programa Pinacoteca de São Paulo www.pinacoteca.org.br Instagram: @pinacotecasp Facebook: Pinacoteca de São Paulo Twitter: @pinacotecasp Ingressos com horário marcado, vendas somente online no www.pinacoteca.org.br Edifício Pina Luz Praça da Luz, 2, Luz - São Paulo, SP Edifício Pina Estação Largo General Osório, 66, Santa Ifigênia - São Paulo, SP
Veja Mais

07/03 - Rede de franquias faz sucesso vendendo waffle e cresce durante a pandemia
A paixão pelo alimento belga motivou um empresário gaúcho a lançar o produto no Brasil. Em 2020, a rede abriu 16 novas unidades. Rede de franquias faz sucesso vendendo waffle e cresce durante a pandemia A paixão pelo waffle, alimento tradicional nos Estados Unidos e na Europa, motivou um empresário do Rio Grande do Sul a lançar uma rede de franquias do produto no Brasil. Em 2020, mesmo com a pandemia, a rede expandiu a operação com a abertura de 16 unidades. Veja todos os vídeos do PEGN A receita original do waffle é da Bélgica. E foi de lá que Anderson Suriz decidiu trazer o produto para o Brasil. O primeiro grande obstáculo foi tirar a má impressão que os brasileiros tinham dos waffles nacionais. Depois, foram dois anos de estudos para estruturar um modelo de negócios no sistema de franquias. “Retornei pra Europa e para os Estados Unidos algumas vezes, exclusivamente para construir esse modelo de negócio, buscando todas as informações, tanto de receita, de equipamento, como modelos de fast food. Tudo pra que a gente pudesse construir um modelo único no Brasil”, conta Anderson. A empresa fabricou equipamentos iguais aos usados lá fora. E substituiu a massa congelada por um pó, chamado de mix. O modelo de negócio é uma aposta dentro do segmento que mais fatura no setor de franquias, o de alimentação, que vinha em um ritmo de crescimento após alta de 7%, em 2018, e de 5,6%, em 2019. Com o impacto da pandemia do coronavírus, o setor fechou 2020 com queda de 15,5%. Mesmo em um cenário desafiador, a rede de waffles do Anderson driblou a crise. São três modelos de franquia: Dark kitchen: modelo mais enxuto, funciona apenas para o preparo de alimentos para entregas. O investimento é a partir de R$ 75 mil; Retirada no balcão: custa R$ 130 mil; Consumo local: custa a partir de R$ 500 mil. A previsão de faturamento varia de R$ 35 mil a R$ 200 mil, de acordo com o modelo de franquia escolhido. A meta da empresa é chegar ao número de 100 franquias no Brasil este ano. The Waffle King Avenida Borges de Medeiros, 2820 - Vila Suíça Gramado/RS - CEP: 95670-000 Telefone: 54 98166 7133 E-mail: contato@thewaffleking.com.br http://thewaffleking.com.br Facebook: The Waffle King Instagram: @thewafflekingbrazil Veja os vídeos mais assistidos do PEGN:
Veja Mais

07/03 - Saiba a hora certa para renovar ou tirar um produto do mercado
Inovação e criatividade são essenciais para valorizar um produto e aumentar seu ciclo de vida. Saiba a hora certa para renovar ou tirar um produto do mercado Todo produto tem um ciclo de vida, ou seja, em algum momento ele pode deixar de ser útil para o consumidor. Empresários precisam saber a hora certa de renovar ou tirar algum item de circulação. Veja todos os vídeos do PEGN É como uma semente que brota, cresce, frutifica e morre. O ciclo de vida da natureza se repete nos negócios. “O ciclo de vida é um modelo que nasceu na biologia e o marketing pegou essa metáfora emprestada. Ela se aplica tanto aos produtos, quanto ao comportamento dos consumidores”, explica Alberto Ajzental, professor de marketing e estratégia da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Para o professor, produto que evolui não morre ou, pelo menos, dura mais. O ciclo de vida de um produto é dividido em quatro fases: Introdução: quando ele chega ao mercado; Crescimento: período de aumento nas vendas; Maturidade: momento de maior popularidade; Declínio: quando o produto não é mais necessário para o consumidor. Mas esse ciclo pode ser prolongado. Uma simples mudança na embalagem pode ser uma forma de evolução, por exemplo. Já uma tecnologia pode se tornar ultrapassada da noite para o dia. A dica do professor é focar nas necessidades do cliente, que nunca ou pouco se alteram. É o caso da lâmpada incandescente, que perdeu lugar para a lâmpada LED. “A necessidade do consumidor por iluminação não acabou. Só que ao invés de você gastar 60 watts, para ter o mesmo resultado você gasta hoje 5 watts”, explica Alberto. Inovação e criatividade Quando alguém lança um produto diferente e bem aceito, usufrui sozinho disso no mercado. Mas aí outros empresários percebem a oportunidade de negócio e lançam produtos similares, forçando uma queda de preços e de margem de lucro. O empresário precisa inovar, se diferenciar de novo, prolongando o ciclo de vida do seu produto, que se repete. Quem ganha com isso é o consumidor, com produtos cada vez melhores, a preços cada vez menores. “Quem manda é o cliente. O que ele deseja é o que você tem que oferecer. É muito difícil fazer o inverso, ou seja, fazer um produto e obrigar todo mundo a consumi-lo”, afirma Alberto. Professor Alberto Ajzental Endereço: Rua Tupi 343 apt 162 – Santa Cecília São Paulo/SP – CEP: 01233-001 Telefone: 11 9 3706 9712 E-mail: alberto.ajzental@fgv.br Violeta Supermercados www.supermercadovioleta.com.br Facebook: violetasupermercados Instagram: supermercadovioleta Veja os vídeos mais assistidos do PEGN:
Veja Mais

07/03 - Conheça 5 dicas para começar no mercado de games
Com faturamento de mais de US$ 175 bilhões em 2020, os jogos trazem oportunidades de negócios. Compatibilidade com smartphones faz alcance dos games aumentar. Conheça 5 dicas para começar no mercado de games O mercado de games fechou 2020 com faturamento estimado de US$ 175 bilhões, o que representa alta de 19% em relação a 2019. Fernando Chamis tem 15 anos de experiência no setor. A empresa que ele tem com um sócio já lançou mais de 50 jogos próprios, com milhões de downloads. Veja todos os vídeos do PEGN “É um mercado de muito risco – você tem que acertar o jogo que você tá fazendo, é difícil, mas por outro lado é um mercado que tem muito, muito dinheiro", afirma Chamis. Veja cinco dicas para entrar no mercado de games: Fazer jogos divertidos para que as pessoas fiquem ligados neles por um bom tempo. Valorizar a importância de sua equipe. Pensar no jogo para o mundo, ou seja, em vários idiomas. Trabalhar o marketing do seu jogo. Buscar o faturamento para que a empresa fique saudável financeiramente. Sobre a importância da equipe, o empresário explica que cada funcionário tem um papel importante. “Então, por exemplo, se você é um programador, você vai precisar também de um artista, que é a pessoa que vai cuidar da interface dos personagens, de toda arte do jogo e também de um game designer, que a pessoa que vai pensar na mecânica, no roteiro, e vai ser aquela pessoa que vai deixar o jogo divertido pra gente ter um bom jogo no final”, explica Chamis. Jogos para smartphones Uma plataforma que ajuda as pequenas empresas a lançar seus jogos é o smartphone. Com a possibilidade de jogar neste tipo de dispositivo, o alcance do jogo fica muito amplo, já que mais de dois quintos da população mundial têm este tipo de aparelho. “Você tem que pensar em vários idiomas, você tem que pensar de uma forma cultural também, de repente um personagem que você criou pode ser ruim e algum determinado país”, afirma Chamis. Veja mais na reportagem completa no vídeo acima. Playland – Unidade Eldorado Avenida Rebouças, 3970 - Cerqueira César São Paulo/SP - CEP: 05402-999 Telefone: (11) 3812-6377 E-mail: faleconosco@playland.com.br https://www.playland.com.br/ Instagram e Facebook - @playlandoficial Webcore Games Avenida Angélica, 1761 Cj 101 - Higienópolis São Paulo/SP - CEP: 01227-200 Telefone: (11) 3230.6795 Email: webcore@webcore.com.br www.webcoregames.com Redes sociais: www.facebook.com/webcore www.instagram.com/webcoregames www.twitter.com/webcoregames Veja os vídeos mais assistidos do PEGN:
Veja Mais

07/03 - Empresária fatura R$ 20 milhões com micropigmentação de sobrancelhas e faz sucesso atendendo clientes usando pijama
Natália Martins tem um salão de estética em São Paulo e oferece cursos na área. Usar pijama todos os dias serviu como marketing para o negócio crescer. Empresária fatura R$ 20 milhões com micropigmentação de sobrancelhas e faz sucesso atendendo clientes usando pijama Natália Martins é uma empreendedora do setor de estética que faturou R$ 20 milhões em 2020 com a técnica da micropigmentação. A história dela é inspiradora e cheia de ações inusitadas. Veja todos os vídeos do PEGN Para começar, Natália usa pijamas para trabalhar todos os dias. Ela atende clientes e alunas de pijama, o uniforme que explodiu o marketing do negócio. “A ideia surgiu em 2017, quando eu tinha acabado de me mudar para São Paulo e queria algo fora do padrão. Foi uma coisa tão positiva para o marketing que tivemos uma procura imensa de alunos por causa do pijama”, explica Natália. Virar empreendedora não estava nos planos da Natália. Ela morava no interior de São Paulo e fez um curso de micropigmentação de sobrancelhas. Se apaixonou pelo assunto. Decidiu, então, abrir um pequeno salão de estética para usar a técnica. Mas estava cheia de dívidas. Ela compartilhava tudo nas redes sociais e não tinha vergonha de expor seus problemas. “Quanto mais eu mostrava minha vulnerabilidade, as dores que eu tinha passado, mais eu conectava pessoas”, conta. Coragem e inovação Natália trabalhava mais de 12 horas por dia e conquistava clientes, inspiradas pela história de vida dela. O dinheiro que ganhou em seis meses foi usado para alugar um casarão em uma área nobre de São Paulo. A empresária conta que teve coragem, porque muita gente teria quitado as dívidas com esse dinheiro. Ela fez o contrário. Com mais de 50 funcionários, Natália recebe clientes e alunas do Brasil inteiro de pijama. Oferece cursos de micropigmentação de sobrancelhas, lábios e até reconstrução de auréolas em mulheres que tiveram câncer de mama. “É uma técnica perfeita, tem que ser, mas eu percebo que elas não vêm buscando isso. Elas vêm buscando o carinho que a gente tem, a experiência de estar aqui, da atenção, do jeito que a gente fala, a energia. É uma coisa intangível”, afirma Natália. Em cinco anos, a empresa já formou mais de 15 mil mulheres, de várias partes do Brasil. Além da técnica, nos cursos, Natália faz questão de ensinar a importância das redes sociais. A empresária prevê crescimento de 50% em 2021, com novos lançamentos e outras frentes de negócio ligadas à marca. É como ela mesma diz nos cursos: “Foguete não dá ré. A gente cria ferramentas para que as pessoas possam ter oportunidade de crescer e serem autoras da própria vida. A gente escolhe onde a gente quer estar”. Natalia Beauty Avenida Rebouças, 1481 – Pinheiros São Paulo/SP - CEP: 05402-100 Telefone: 11 3061-2670 E-mail: natalia@nataliabeautyacademy.com www.nataliabeautyacademy.com Facebook: nataliabeauty Instagram: @nataliabeauty Veja os vídeos mais assistidos do PEGN:
Veja Mais

07/03 - Escola de e-commerce ajuda empresários do varejo a vender mais
Empresa oferece 14 treinamentos on-line para novos empreendedores e para quem já tem um negócio e quer melhorar as vendas no comércio virtual. Escola de e-commerce ajuda empresários do varejo a vender mais Em 2020, as vendas on-line cresceram quase 70%. Para este ano, é esperado um aumento de 18%. Para fazer parte do comércio virtual, muitos empresários do varejo estão voltando a estudar para entender mais do assunto. Veja todos os vídeos do PEGN Foi o que aconteceu com a empresária Sulamita Mota, que tem sua própria marca de moda feminina desde 2017. Ela era dona de uma loja de roupas no ABC Paulista, na Grande São Paulo. Em 2020, fechou o negócio por causa da pandemia e a solução foi voltar a estudar, e de forma on-line. O curso para ensinar empreendedores a montarem uma loja online foi criado pelo Bruno de Oiveira. Depois de uma longa jornada no mundo da venda digital, ele abriu, em 2016, a escola de negócios digitais, com sede no Rio de Janeiro. A empresa oferece 14 treinamentos online, que custam de R$ 200 a R$ 3 mil. Tem curso para empreendedores iniciantes, para quem já trabalha no varejo físico e para quem precisa aperfeiçoar a loja online. "Essa metodologia foi desenvolvida em cinco etapas: planejamento do negócio, estrutura, marketing, gestão e otimização”, explica Bruno. A escola de e-commerce dobrou o faturamento na pandemia. Mais de 30 mil alunos já pagaram para fazer os treinamentos, e três milhões de pessoas são impactadas pelo conteúdo dela semanalmente. Tudo é publicado nas redes sociais para quem quiser entender melhor como funciona esse mercado. Veja a reportagem completa no vídeo acima. Ecommerce na Prática Av João Cabral De Mello Neto, 850 – Barra Da Tijuca Rio De Janeiro/Rj - CEP: 22775-057 Telefone: (21) 3500-1448 / whatsapp: 21 2018-1530 https://ecommercenapratica.com/ Email: contato@ecommercenapratica.com Instagram: www.instagram.com/ecommercenapratica Linkedin: www.linkedin.com/company/ecommerce-na-pratica/ YouTube: www.youtube.com/channel/UC7OFL Facebook: www.facebook.com/ecommercenapraticablog Sarah Rosé Rua Catequese,1016. Bairro Jardim Santo André/SP - CEP: 09090-401 Telefone: (11) 93464-7624/ (11) 97983-1897 www.sarahrose.com.br Instagram: @sarahroseoficial Facebook: Sarah Rose Alfaiataria Veja os vídeos mais assistidos do PEGN:
Veja Mais

07/03 - Franquia de farmácias desenvolve produtos de beleza veganos para pets
Empresa investiu R$ 88 mil na inovação de shampoos, hidratantes e até espumas de banho livres de sulfato, silicone, corantes e essências. Franquia de farmácias desenvolve produtos de beleza veganos para pets Uma franquia de farmácias de manipulação para pets investiu R$ 88 mil em pesquisa e inovação para desenvolver uma linha vegana de produtos de beleza para bichinhos de estimação. Tem shampoo sólido, condicionador, hidratante, desembaraçadores e até espuma de banho. Todos são livres de sulfato, de silicone, de corantes e de essências. Veja todos os vídeos do PEGN “A gente está investindo muito nessa parte de cosméticos naturais livres de componentes que tendem agredir, a serem nocivos ao meio ambiente. Não só quando adicionados na formulação, mas também quando eles são sintetizados, quando são produzidos", diz Renata Piazera, dona da marca e da franquia, junto com Marcelo Piazera. A empresa deles nasceu em Santa Catarina e hoje está presente em 14 estados, com 46 unidades franqueadas. E a expectativa é abrir mais 10 neste ano. Todos os produtos da marca são hipoalergênicos e formulados com óleos essenciais que, segundo os sócios, têm efeito terapêutico para os pets. “Não é considerado medicamento – ele usa durante o banho, durante o passeio. Mas com a aplicação do produto ele tem alguns benefícios com os óleos essenciais", afirma Marcelo. O mercado pet é um setor em crescimento e a previsão é de que este tenha faturado R$ 40 bilhões em 2020, alta de 13% em relação a 2019. Fórmula Animal Farmácia de Manipulação Veterinária Rua João Planincheck, 883 - Nova Brasília Jaraguá do Sul/SC – CEP: 89252-275 Telefone: (47) 3275-0674/(47) 99977-5534 (matriz) E-mail: vendas@formulanimal.com.br www.formulanimal.com.br Instagram: https://instagram.com/fa.jguadosul Facebook: https://www.facebook.com/formulanimal Veja os vídeos mais assistidos do PEGN:
Veja Mais

07/03 - Com a pandemia, trabalhadores migram para o campo em busca de renda fixa
Nosso Campo conta as histórias de um sangrador e de um casal de engenheiros civis que encontraram no campo uma forma de obter uma renda fixa durante a pandemia. Com a pandemia, trabalhadores encontram no campo forma de obter renda Reprodução/TV TEM O sol nem raiou e quem trabalha na sangria das seringueiras já está de pé. É nesse horário que a produtividade aumenta e madrugar é o jeito encontrado pelos trabalhadores para fazer o dia render. Pouco depois das quatro horas, o sangrador Adinael começa a riscar os primeiros troncos. Até pelo menos às 10h, ele percorre o seringal para coletar o látex. É uma rotina cansativa, mas bem mais tranquila do que a que ele encarava no antigo emprego. Adinael explica sua rotina maçante quando trabalhava como atendente de balcão, em um restaurante de Itatiba (SP). "Lá eu acordava às 5h, até 5h30 eu estava indo pegar o ônibus. Eu entrava às 6h40 e ficava até 15h30. Aí, como estava na pandemia, não tinha ônibus e eu tinha que ficar até as 19h esperando, aí chegava em casa umas 20h", conta. Durante a pandemia, ele ficou desempregado e encontrou no campo uma recolocação no mercado de trabalho. Casos como o de Adinael, que buscou trabalho no campo depois de perder o emprego na cidade, estão cada vez mais comuns. Segundo um levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), foi registrado, no terceiro trimestre de 2020, um pequeno crescimento no número de trabalhadores no agronegócio brasileiro: pouco mais de 1% em relação ao semestre anterior (1,3%), o que representa um aumento de aproximadamente 217 mil pessoas. Anderson, gerente de uma fazenda localizada em Riolândia (SP), diz que percebeu um aumento na procura por emprego no campo. "Desde que começou essa pandemia, muitas pessoas procuram serviço da área urbana para a rural", diz. Ele acredita que o setor rural foi um dos menos afetados com a pandemia. "A gente não está tendo vaga para todos que nos procuram", diz. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 07/03/2021) Com a pandemia, trabalhadores migram para o campo em busca de renda fixa Em uma outra propriedade, no município de Bálsamo (SP), o Nosso Campo encontrou um casal de engenheiros civis que se conheceu durante a faculdade, no Mato Grosso do Sul. Bruno de Paula Michelin e Roberta Cristina de Almeida se mudaram para a fazenda da família no fim de 2019 para dar início a um projeto no ramo da construção. Bruno conta que o escritório montado na fazenda funcionava pela divulgação, captação de cliente e desenvolvimento de projetos e que, para conhecer clientes e obras, era necessário visitar Rio Preto (SP) todos os dias. Até que, em um momento, eles perceberam que não dava mais. "Aquele primeiro impacto que tudo fecha, tudo para. Todos os nossos projetos, prefeituras, tudo parou e, automaticamente, a gente parou também. Aí, naturalmente, outros projetos aqui foram surgindo", explica. Com os novos projetos, uma nova rotina também surgiu. Hoje, ele trata das galinhas e da terra, por exemplo. Já Roberta prepara receitas na cozinha, onde encontrou um caminho para garantir renda. No início, ela queria apenas reproduzir o que fazia com as avós: fazer pães e comer em família. Depois, tudo mudou. "Comecei vendendo para um que provou em Bálsamo. De repente, o pessoal de Rio Preto já estava pedindo, porque estava conhecendo. Agora, estou vendendo em Bálsamo, Rio Preto e Mirassol", diz Roberta. A rotina do casal mudou, mas os dois se apaixonaram pelos novos projetos, olhando o lado positivo da pandemia. "A gente se redescobriu", diz Bruno. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo VÍDEOS: veja mais reportagens do programa
Veja Mais

07/03 - Hortas em espaços urbanos se tornam cada vez mais comuns
Dá para aproveitar diferentes espaços para plantar o próprio alimento. Hortas em espaços urbanos se tornam cada vez mais comuns Reprodução/TV TEM Na horta do seu Jorge e da dona Fátima tem um pouco de tudo. Alface, almeirão, salsinha, cheiro verde. A variedade conquistou a comerciante Rita Gomes, que passa semanalmente por lá para fazer a feira. Com as sacolas cheias, a compra dá para a semana inteira na casa dela. Rita diz que, além de receber produtos fresquinhos, a durabilidade é bem maior. Isso porque o casal dono da plantação não usa agrotóxico. A horta, que foi montada há dois anos, faz tanto sucesso que há clientes de vários bairros. O espaço fica dentro da área urbana de Bauru (SP), ocupa cerca de 650 metros quadrados e abastece a toda a comunidade. É claro que manter tudo exige muita dedicação do casal. Para ajudar a tocar os trabalhos, eles contam com o auxílio do filho Mateus Alves, que é técnico agrícola e deixou o trabalho para investir na agricultura familiar. Tudo começou como um passatempo para o casal, mas hoje a horta virou a principal fonte de renda da família. Para oferecer produtos de qualidade e atender às demandas, Jorge pesquisou bastante sobre os melhores adubos naturais e sobre irrigação. Apesar da dedicação constante ao novo trabalho, Sérgio diz que não se vê mais lidando com outra coisa. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 07/03/2021) Hortas em espaços urbanos se tornam cada vez mais comuns Agora imagine se você pudesse ter, além de uma horta, um pomar no quintal da sua casa. Foi isso que Luiz Pires decidiu fazer na varanda do apartamento dele. Ele conta que há quase dois anos a família não precisa comprar verduras e ervas para temperos no mercado. Tudo que é consumido por eles é plantado em casa. É tanto capricho que, para a chuva não estragar as folhas de alface, Luiz colocou uma tela de proteção. Tem também sistema de irrigação automático. No caso das plantas e árvores frutíferas, ele revela que o segredo para tudo dar certo é a polinização natural com abelhas. Por isso, fez até um espaço para elas. Leiva Maria Custório também transformou o quintal de casa. A ideia surgiu com a dificuldade de encontrar verduras e legumes orgânicos de boa qualidade. Influenciada pelas filhas, ela decidiu recorrer a Adriano Costa, que é jardineiro e entende do negócio. Adriano conta que o segredo para manter as pragas bem longe é cuidar diariamente. Assim, qualquer sinal de pragas é combatido a tempo antes de estragar as plantações. O técnico agrícola Mario Augusto Camargo orienta quem deseja montar a própria horta. A escolha do local é muito importante: deve ser um espaço que receba luz do sol pelo menos por quatro horas diariamente. A terra vermelha com esterco bovino é a mistura perfeita. Depois, mistura um pouco de calcário. Ele usa um tubo de PVC como base. Mário escolheu plantar couve. A distância entre as mudas deve ser de 20 centímetros. A rega é também muito importante. Seguindo as dicas, em pouco tempo você vai colher os frutos de sua própria horta. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes sociais Confira as últimas notícias do Nosso Campo VÍDEOS: veja mais reportagens do programa
Veja Mais